Banca de DEFESA: NARA JUSCELY MINERVINO DE CARVALHO MARCELINO

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : NARA JUSCELY MINERVINO DE CARVALHO MARCELINO
DATA : 30/07/2018
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório D/CCHLA
TÍTULO:

Sentenças de negação com É RUIM e NEM A PAU em Português Brasileiro


PALAVRAS-CHAVES:

Sentença de Negação; sintaxe; é ruim, nem a pau.


PÁGINAS: 220
RESUMO:

Esta Tese tem como suporte teórico os pressupostos da Gramática Gerativa, com base nos quais analisaremos as configurações sintáticas de Sentenças de Negação do Português Brasileiro (PB) realizadas com os marcadores é ruim e nem a pau. No PB, as sentenças de negação são subdivididas em Sentenças de Negação Proposicional (SNP), Sentenças de Negação Regular (SNR), Sentenças de Negação Metalinguística (SNM), Sentenças de Negação Enfática (SNE) e Sentenças de Negação Anafórica (SNA). As sentenças com é ruim e nem a pau são, em sua maioria, Sentenças de Negação Metalinguística, uma vez que só podem ser efetivadas mediante a existência de uma pressuposição concretamente realizada. Estabelecida a pressuposição, tanto o é ruim quanto o nem a pau corrigem o conteúdo proposicional dessa pressuposição, atribuindo o valor correto para o valor identificado como incorreto, da pressuposição. Tendo em vista a projeção sintática dos constituintes de uma sentença, ambos os marcadores são realizados na projeção CP, uma vez que são estabelecidos numa sentença de IP pleno, com verbo principal no Indicativo. Assim, são sentenças com IP pleno de núcleos e de argumentos. Os marcadores é ruim e o nem a pau podem ser realizados em posições distintas. Desse modo, afirmamos que, a depender da posição, se na periferia ou em posição interna, a configuração sintática de ambas as sentenças é distinta: se periféricos, são constituintes que sofrem merge externo em CP, onde se realizam; se internos, passam por merge interno em Polarity Phrase (∑P) e sobem para o CP. Dentre os marcadores, o é ruim é sempre um Marcador de Negação Metalinguística (MNM) periférico, gerado e realizado diretamente em CP. O nem a pau, por sua vez, é um constituinte ora periférico, ora interno. Independente da posição em que se realize, ele é um MNM, se realizado numa mesa cuja pressuposição é uma sentença de afirmação. Se a pressuposição, no entanto, é uma sentença de negação, ele pode ser um MNM, se ocupar uma posição acima do verbo, ou um Item de Polaridade Negativa (IPN), se aparecer em posição abaixo do verbo, uma vez que, nessa posição, estabelece concordância negativa com o não pré-verbal que o precede. Se MNM periférico, o nem a pau sofre merge externo em CP, onde também é realizado; se interno, sofre merge interno em ∑P, de onde sobe para o CP, via movimento.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 021.613.369-67 - MARCO ANTONIO ROCHA MARTINS - UFSC
Interno - 1673239 - JOSE ROMERITO SILVA
Interno - 1451510 - MARIA ALICE TAVARES
Externo à Instituição - ANA MARIA MARTINS - ULISBOA
Externo à Instituição - RERISSON CAVALCANTE DE ARAÚJO - UFBA
Notícia cadastrada em: 25/06/2018 11:07
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa11-producao.info.ufrn.br.sigaa11-producao