Banca de QUALIFICAÇÃO: RHENA RAIZE PEIXOTO DE LIMA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : RHENA RAIZE PEIXOTO DE LIMA
DATA : 19/04/2018
HORA: 14:00
LOCAL: AUDITÓRIO A - CCHLA
TÍTULO:

A PRAÇA PÚBLICA NA ESFERA ESCOLAR: O DIÁRIO DE LEITURA COMO RESPOSTA À IMPOSIÇÃO DOS DISCURSOS OFICIAIS


PALAVRAS-CHAVES:

diário de leitura; esfera escolar; carnavalização


PÁGINAS: 100
RESUMO:

Conforme sabemos, os escritos deixados por Bakhtin e seu círculo oferecem, até os dias de hoje, relevantes contribuições para o estudo da linguagem. Para este trabalho, consideramos a análise do estudioso sobre carnavalização e sobre as demais festas populares ocorridas em praça pública na Idade Média. Para o autor, a praça constituía-se como um espaço privilegiado, onde, por meio de práticas subversivas, os sujeitos contestavam os discursos oficiais impostos pela realidade social da época. Atualmente, há outras formas de contestação. No espaço escolar, por exemplo, selecionamos o diário de leitura como um gênero motivador para a construção de discursos que objetivam subverter alguns dos discursos oficiais e, a partir disso, contribuir para a construção de uma nova realidade. Para essa discussão, analisaremos dez enunciados verbo-visuais registrados em diários de leitura produzidos em 2015 por alunos do 3º ano do Ensino Médio do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia (IFRN), campus João Câmara/RN. A principal metáfora da pesquisa relaciona a atividade do diário com a praça pública medieval, uma vez que os momentos de interação na praça são considerados significativos pelo autor por proporcionarem o questionamento e destronamento temporário dos discursos hegemônicos da época, sobretudo aqueles ligados à Igreja Católica. Diante disso, o nosso principal objetivo é analisar os posicionamentos dos alunos nos diários, mais especificamente aqueles que se orientam como resposta aos discursos ditos oficiais, que circulam dentro ou fora da esfera escolar. A pesquisa segue orientada por concepções acerca de sujeito e de pesquisa nas Ciências Humanas que estão em harmonia com a proposta bakhtiniana para essa grande área. Nesse sentido, orientamo-nos por estudos de autores como Amorim (2004), Petrilli (2013) e Geraldi (2016), os quais prezam pela pesquisa interessada no aprofundamento dos dados, na escuta atenciosa do outro-pesquisado, juntamente com a imprevisibilidade do percurso e das conclusões possíveis ao fim do trabalho. Acreditamos que a compreensão de enunciados como esses pode nos levar a rever as nossas práticas, além de ressignificar concepções acerca do nosso aluno e, sobretudo, acerca de toda a configuração do sistema escolar a que estamos submetidos. Ou seja, espera-se que esta pesquisa propicie uma renovação da vida escolar e, consequentemente, uma renovação da vida dos sujeitos participantes.

 

Pal


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1149420 - MARIA DA PENHA CASADO ALVES
Interno - 1000286 - ORISON MARDEN BANDEIRA DE MELO JUNIOR
Externo ao Programa - 1109053 - GILVANDO ALVES DE OLIVEIRA
Notícia cadastrada em: 22/03/2018 08:37
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa03-producao.info.ufrn.br.sigaa03-producao