Banca de QUALIFICAÇÃO: MARIA APARECIDA DA SILVA MIRANDA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : MARIA APARECIDA DA SILVA MIRANDA
DATA : 02/02/2018
HORA: 13:30
LOCAL: Auditório A
TÍTULO:

SIMULACROS DO ORQUESTRAMENTO DE VOZES NA ESCRIA ACADÊMICA: A CONSTITUIÇÃO DO PESQUISADOR EM FORMAÇÃO


PALAVRAS-CHAVES:

escrita acadêmica, simulacro, uso produtivo da teoria, alusão, paráfrase orquestramento de vozes 


PÁGINAS: 122
RESUMO:

A pesquisa constitui-se em um estudo sobre a produção e a circulação de conhecimento na universidade, com foco nas formas de simulacro do orquestramento de vozes, que tem como efeito o uso produtivo da teoria na escrita do pesquisador em formação. Para tanto, buscou-se responder aos seguintes questionamentos: o que pode ser considerado como uso produtivo da teoria na escrita acadêmica? como se constituem as operações linguísticas realizadas pelo pesquisador em formação ao mobilizar conceitos teóricos, na escrita de dissertação de mestrado? como legitimar as vozes que têm como efeito a produção de conhecimento científico? Para o alcance dessas inquietações foram traçados os seguintes objetivos: a) inventariar e descrever as estratégias linguísticas que constituem os simulacros do outro e que pelo orquestramento de vozes, legitimam como efeito de uso produtivo da teoria na escrita acadêmica. Partiu-se do pressuposto de que a produção de conhecimento pode ser viabilizada, dada à maneira pela qual o sujeito promove o orquestramento de vozes ao mobilizar conceitos teóricos, legitimando ou não essas mesmas vozes. O corpus é composto por duas dissertações de mestrado – uma defendida no ano de 1999 e outra no de 2004, em programas de pós-graduação da Área de Linguística, coletadas no portal CAPES. Em termos teóricos, estudo privilegia a abordagem linguística ao evocando, prioritariamente, a noção de heterogeneidade constitutiva do discurso e do sujeito – dada a multiplicidade de sentidos outros que a linguagem permite (AUTHIER-REVUZ, 1990; 1998; 2004; 2011), bem como os estudos de Baudrillard (1982) sobre o conceito de simulacro, um discurso diferente do mesmo. Importante se fez o diálogo com Pêcheux (1990) sobre interdiscurso, conflito e confrontos de sentido e com Fuchs (1985) sobre paráfrase e com Foucault (1972; 1992; 2005) quanto à legitimação do discurso. Em termos metodológicos, o estudo se fundamenta na abordagem qualitativa, de inspiração etnográfica, como caminho de investigação e nas contribuições da análise do discurso (AD) para a interpretação do corpus. A análise da escrita das dissertações (excertos de dissertações) mostrou que a escrita acadêmica, na referida área de estudos, realiza-se como processo constitutivo de escrita do sujeito, exercido na relação com o outro (teoria), como saber sistematizado, e, ao mesmo tempo, inventariável a partir das formas linguísticas de orquestramento de vozes que constituem os simulacros do outro, configura-se como efeito o uso produtivo da teoria e fazendo circular o conhecimento científico. Esse processo de escrita do sujeito pesquisador baseia-se em três formas de simulacro da voz: a sumarizada, a encapsulada e a desbravada. Os resultados permitiram concluir que a produção do texto acadêmico-científico transmuta-se em simulacro de uma escrita que atende a uma demanda de produção de conhecimento da área de Linguística o qual o pesquisador em formação sistematizou no processo de escrita. Essas três formas de simulacro se materializam como atividade constitutiva do sujeito pesquisador, que o situa frente a um saber-fazer culturalmente sistematizado.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1673309 - SULEMI FABIANO CAMPOS
Externo à Instituição - EMARI DE ANDRADE - Unitau
Externo à Instituição - ERNESTO SÉRGIO BERTOLDO - UFU
Externo à Instituição - THOMAS MASSAO FAIRCHILD - UFPA
Notícia cadastrada em: 18/01/2018 08:36
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa06-producao.info.ufrn.br.sigaa06-producao