Banca de DEFESA: JANIMA BERNARDES

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JANIMA BERNARDES
DATA : 05/12/2017
HORA: 08:30
LOCAL: auditório A - CCHLA
TÍTULO:

FORMAS LINGUÍSTICAS NO PROCESSO DA ESCRITA DOS PESQUISADORES EM DISSERTAÇÕES DE MESTRADO: NEGOCIAÇÃO DE VOZES


PALAVRAS-CHAVES:

Dissertação. Heterogeneidade enunciativa. Representação do discurso do outro. Negociação de vozes. Efeitos de sentido.


PÁGINAS: 211
RESUMO:

Investigam-se, nesta pesquisa, diferentes formas de manifestação das múltiplas vozes existentes em um texto, ou seja, das formas da heterogeneidade mostrada, concretizadas na materialidade linguística, como deriva da negociação do sujeito enunciador com o outro, em dissertações de mestrado da área de Letras. Para tanto, buscou-se responder os seguintes questionamentos: que formas linguísticas demonstram os modos como os pesquisadores negociam com outras vozes na escrita das dissertações? Quais são as estratégias adotadas pelos pesquisadores na negociação com as vozes alheias inseridas em seu texto? Que efeitos de sentido podem ser construídos em decorrência dos modos como essas vozes são mobilizadas/gerenciadas pelos pesquisadores na produção acadêmico-científica? Que modos de intervenção educativa podem advir desse descobrimento, colocando-se em favor da melhoria do ensino da escrita de textos acadêmico-científicos? Tomando por base essas inquisições, traçaram-se os seguintes objetivos: identificar e descrever as formas linguísticas mais recorrentes, reveladoras do modo como os pesquisadores negociam com as vozes alheias em dissertações de mestrado; determinar as estratégias adotadas pelos pesquisadores na negociação com as vozes alheias inscritas em seus textos; interpretar os efeitos de sentido que o uso dessas formas linguísticas da enunciação provocam na escrita dos pesquisadores; e descobrir formas mais viáveis de intervenções educativas, a serem aplicadas no processo de produção de textos na graduação, com vistas à melhoria da qualidade destes. Visando a esse alcance, esta investigação apoia-se em parâmetros da pesquisa qualitativa, assumindo um caráter descritivo e interpretativo, uma vez que a análise perpassa, primeiramente, pelo limite restrito das formas linguísticas para, então, abordar os modos de organização e funcionamento do texto acadêmico-científico. Em sua fundamentação teórica, faz ancoragem em alguns postulados conceituais: heterogeneidade enunciativa (AUTHIER-REVUZ, 1990, 1998, 2004, 2011), dialogismo (BAKHTIN, 2000, 2009) e interdiscurso (PÊCHEUX, 1990, 1997). Também se ancora, em termos subsidiários, no postulado da formação do espírito científico (BACHELARD, 1996). O corpus constitui-se de 18 dissertações de mestrado, produzidas no período de 2006 a 2014, em universidades federais brasileiras nos Programas de Pós-graduação em Letras. Todas elas foram obtidas no Portal de Domínio Público da CAPES. Nesse corpus, observa-se, prioritariamente, o capítulo de construção teórico-metodológica e o de análise dos dados das dissertações coletadas. Por meio das análises realizadas, chega-se à constatação conclusiva de que os pesquisadores se utilizam de diversas estratégias de escrita: seguem a mesma estrutura sintática de um texto-fonte; constroem seu próprio enunciado com trechos do discurso do outro, operando pequenas modificações, devidas, quase sempre, a substituições de palavras, mudando apenas o invólucro semântico; e fazem uso de um texto-fonte, alterando tão-somente a ordem da sequência dos enunciados, mantendo as palavras alheias em sua integridade, chegando, por vezes, a uma total descaracterização de seu próprio discurso − do enunciador/pesquisador. Por fim, os excertos analisados neste trabalho permitem visualizar uma tentativa de negociação do pesquisador com as vozes alheias mobilizadas como apoio teórico, em sua produção escrita, mas com uma ressalva para uma certa falta de maestria na utilização dessa estratégia. A pesquisa ainda revela, em caráter subsidiário de descoberta, que é possível alcançar uma melhoria na qualidade da produção do texto acadêmico-científico, em um contexto de ensino que dê atenção às formas de inserção das vozes alheias, o que também serve de orientação para que o pesquisador aprenda a deslocar-se “com relação ao senso comum”, colocando algo de si nos textos que produz.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1673309 - SULEMI FABIANO CAMPOS
Interno - 349685 - MARIA DAS GRACAS SOARES RODRIGUES
Externo à Instituição - MARIANA APARECIDA DE OLIVEIRA RIBEIRO - UFMA
Externo à Instituição - THOMAS MASSAO FAIRCHILD - UFPA
Externo à Instituição - VALDIR HEITOR BARZOTTO - USP
Notícia cadastrada em: 04/12/2017 15:00
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa23-producao.info.ufrn.br.sigaa23-producao