Banca de QUALIFICAÇÃO: JOAQUIM ADELINO DANTAS DE OLIVEIRA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JOAQUIM ADELINO DANTAS DE OLIVEIRA
DATA : 15/12/2017
HORA: 14:30
LOCAL: CCHLA 114
TÍTULO:

“EU GOSTAVA DE FODER COM AS BESTAS NO VALE DAS SOMBRAS”: A QUESTÃO DO SUBTERRÂNEO NA OBRA DE LOURENÇO MUTARELLI


PALAVRAS-CHAVES:

Lourenço Mutarelli; alegoria da caverna; subterrâneo.


PÁGINAS: 120
RESUMO:

O presente trabalho tem como proposta geral estudar a composição do universo ficcional de Lourenço Mutarelli. Propomo-nos a discutir a expressão estética desse autor, as principais temáticas que emanam desse universo, e, em última instância, as representações da realidade que são construídas a partir dessa obra. No entanto, seria impossível dar conta, mesmo que superficialmente, de uma obra tão vasta e densa quanto a mutarelliana; obra composta, até o momento de produção deste trabalho, de 7 (sete) romances, 13 (treze) HQs e 1 (um) livro de peças reunidas – sem mencionar os scketchbooks, fanzines e demais produções de cunho estritamente visual. Portanto, para que pudéssemos realizar tal tarefa de modo plausível e ainda aprofundado, fez-se necessário um recorte objetivo. Demos ênfase então à produção romanesca de Lourenço Mutarelli, centrando-nos, de modo ainda mais específico, em duas obras, que nos serviram como objeto de estudo: O cheiro do ralo, romance inaugural do autor, e A arte de produzir efeito sem causa. Dentro dessas obras, focalizamos ainda mais o nosso olhar, voltando-nos então para a questão do subterrâneo dentro da literatura mutarelliana. Amparados pelas perspectivas filosóficas de Platão (2011) e Nietzsche (2005); pelas reflexões crítico-filosóficas de Kelsen (2008), Trabattoni (2010) e Vattimo (2010); pelas teorias e metodologias de Auerbach (2011), Bakhtin (2009) e Adorno & Horkheimer (1985); e ainda sob o viés analítico de Marshal Berman (1986), construímos nossa crítica. Nossa abordagem fundamentou-se, então, em três passos fundamentais, desenvolvidos ao longo de três capítulos. No Capítulo I, ancorados pela leitura comparativa de elementos da filosofia platônica – com ênfase na alegoria da caverna – e da filosofia nietzschiana, dedicamo-nos ao primeiro passo de nossa abordagem: discutir e construir o conceito teórico de subterrâneo; conceito esse que, a posteriori, utilizamos como chave de análise da obra mutarelliana. Em seguida, voltamo-nos ao comentário sobre a construção formal da linguagem, os elementos narrativos e as discussões temáticas da prosa mutarelliana. Por fim, alçamos nossa crítica ao nível da leitura das representações da realidade, e passamos a comentar a crítica da realidade perpetrada pela questão do subterrâneo na obra romanesca de Lourenço Mutarelli. Esses dois últimos passos analíticos descritos são desenvolvidos tanto no Capítulo II quanto III de nosso trabalho, sendo cada um desses capítulos centrados ao redor de um dos romances que aqui tomamos como objeto.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1513790 - ANDREY PEREIRA DE OLIVEIRA
Externo ao Programa - 350490 - ANTONIO FERNANDES DE MEDEIROS JUNIOR
Externo à Instituição - ELRI BANDEIRA DE SOUSA - UFCG
Notícia cadastrada em: 16/11/2017 13:38
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa04-producao.info.ufrn.br.sigaa04-producao