Banca de DEFESA: ELISABETH SILVA DE VIEIRA MOURA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ELISABETH SILVA DE VIEIRA MOURA
DATA : 07/12/2017
HORA: 14:00
LOCAL: AUDITÓRIO A
TÍTULO:

 

Atitudes linguísticas de graduandos em Letras em relação à redução do ditongo final [ja]  em palavra paroxítona e às pessoas que a empregam

PALAVRAS-CHAVES:

 Variação linguística. Atitudes linguísticas. Fenômenos fonéticos variáveis. Monotongação.


PÁGINAS: 120
RESUMO:

 

 Com base em estudos sociolinguísticos sobre o problema empírico da avaliação e com o intuito de contribuir com as pesquisas sobre o valor social dos elementos variáveis, esta tese visa a verificar a atitude linguística de estudantes de Letras da Universidade Federal do Rio Grande do Norte em relação à redução do ditongo [ja] átono final de palavra paroxítona. Nosso corpus é composto de testes aplicados aos estudantes calouros e concluintes, observando-se três componentes da atitude – cognitivo, afetivo e comportamental – em relação à redução citada, como em paciença/poliça, e em relação à pessoa que usa essa variante. Sendo assim, esta pesquisa se justifica na medida em que se propõe a mostrar a importância da elaboração e validação de testes de atitude para a observação do valor social das variantes linguísticas. Diante disso, as questões fundadoras de nossa pesquisa são as seguintes: (i) que testes podem ser aplicados para verificar as atitudes linguísticas?; (ii) quais são as atitudes linguísticas de universitários de cursos de Letras, nos períodos iniciais e finais do curso, em relação à redução do ditongo [ja] átono final de palavra paroxítona? Diante dessas questões, nossos objetivos são os seguintes: (i) desenvolver e validar testes para avaliar atitudes linguísticas em função de seus três componentes – cognitivo, afetivo e comportamental; (ii) descrever e analisar atitudes de universitários de cursos de Letras, nos períodos iniciais e finais do curso, em relação à redução do ditongo [ja] átono final de palavra paroxítona. Como expectativa aos objetivos norteadores da pesquisa, apresentamos as seguintes hipóteses: (i) a escala de Likert, a escala de diferenciador semântico e a escala de distância social devem mostrar-se adequadas para avaliar as atitudes; (ii) alunos concluintes, por já terem uma formação teórica sobre os fenômenos de variação e mudança linguística, apresentariam uma postura diferente no que respeita ao fenômeno de mudança e variação. As escalas mostraram-se adequadas para a verificação das atitudes, porém os alunos concluintes não apresentaram atitudes melhores que os calouros. Pesquisas sobre atitudes linguísticas são significativas para discussões sobre preconceito e prestígio linguísticos e para auxiliar na compreensão de como se dão as mudanças na língua. A elaboração de testes significativos pode contribuir para um melhor esclarecimento das atitudes dos falantes e de sua influência na variação/mudança linguística.  Além disso, trazer à tona a questão da atitude linguística nos cursos de Letras tem sido uma discussão pertinente para possibilitar aos futuros professores a reflexão sobre o tema e a transposição para a sala de aula desses conhecimentos que são importantes para a formação integral do educando. 

 

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2226795 - MARIA HOZANETE ALVES DE LIMA
Interno - 1451510 - MARIA ALICE TAVARES
Externo ao Programa - 1057540 - CARLA MARIA CUNHA
Externo à Instituição - ALDIR SANTOS DE PAULA - UFAL
Externo à Instituição - MARIA MARGARETE FERNANDES DE SOUSA - UFC
Notícia cadastrada em: 30/10/2017 14:00
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa21-producao.info.ufrn.br.sigaa21-producao