Banca de QUALIFICAÇÃO: SUYANNE PEREIRA DE MORAES

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : SUYANNE PEREIRA DE MORAES
DATA : 29/09/2017
HORA: 12:00
LOCAL: a definir
TÍTULO:

O USO CONCORDADO DO VERBO “HAVER” IMPESSOAL EM FALANTES DA LÍNGUA ESPANHOLA DE SANTIAGO DO CHILE: UM ESTUDO SOCIOLINGUÍSTICO.


PALAVRAS-CHAVES:

Sociolinguística; Variação; Concordância verbo haber impessoal;  PRESEEA; Santiago do Chile.


PÁGINAS: 50
RESUMO:

Tendo em vista a heterogeneidade das línguas e os diversos fenômenos que podem se apresentar devido a sua constante mutabilidade, esta pesquisa qualitativa-quantitativa propõe-se a investigar uma variável dependente que vem ganhando espaço nos estudos sociolinguísticos na língua espanhola: a ocorrência do uso concordado do verbo haber impessoal, neste caso, em falantes de Santiago do Chile. Pretendemos descrever e analisar as variáveis independentes que influenciam na escolha entre as variantes (singular e plural) desse fenômeno. Para isso, nos basearemos nos pressupostos da Teoria da Variação e Mudança Linguística, pois a partir dela é possível realizar uma análise complexa do funcionamento das línguas, sendo elas consideradas em seu contexto real de uso pelos falantes, tanto no que diz respeito a fatores linguísticos quanto a extralinguísticos. Assim, esta pesquisa se insere nos fundamentos da teoria da Sociolinguística, em especial em autores como Weinreich, Labov e Herzog (2006) e Tagliamonte (2006). Também contribuem para este trabalho os estudos já realizados sobre essa temática por autores hispânicos, como Ruiz (2004) da Venezuela, Rivas e Brown (2012) de Porto Rico e De Mello (1991) sobre onze capitais de países falantes de espanhol. Para a conformação do corpus de análise foram utilizadas 72 entrevistas sociolinguísticas. pertencentes ao corpus PRESEEA- Proyecto para el Estudio Sociolingüístico del Español de España y de América,  Os condicionadores levados em consideração são linguísticos a) os tempos verbais; e extralinguísticos: b) sexo; c) idade; e d) nível socioeconômico. Os resultados parciais obtidos apontam para uma tendência de variação em faixas etárias mais avançadas, isto é, os grupos de idade 2 e 3 são os que mais utilizam o plural em detrimento da variante normativa, e observa-se a predominância do uso pluralizado quando o verbo está conjugado no Pretérito Imperfeito e em Perífrases Verbais. Dessa forma, podemos observar uma tendência à variação nas entrevistas analisadas.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - CARLOS FELIPE DA CONCEIÇÃO PINTO - UFBA
Presidente - 1551756 - EDVALDO BALDUINO BISPO
Externo à Instituição - TATIANA MARANHÃO DE CASTEDO - IFPB
Notícia cadastrada em: 22/09/2017 16:33
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa18-producao.info.ufrn.br.sigaa18-producao