Banca de QUALIFICAÇÃO: MARCELLE FEIGOL GUIL

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : MARCELLE FEIGOL GUIL
DATA : 29/09/2017
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório E do CCHLA
TÍTULO:

Contos da África anglófona: uma proposta para o ensino crítico de língua inglesa no Brasil


PALAVRAS-CHAVES:

Ensino crítico. Inglês como língua estrangeira. Contos africanos. Transculturalidade. Protagonismo feminino.


PÁGINAS: 60
RESUMO:

 

O predomínio das culturas inglesa e norte-americana no ensino-aprendizagem de inglês como língua estrangeira (LE/inglês) parece, muitas vezes, diminuir ou ignorar a importância de outros países que também têm o idioma como uma de suas línguas oficiais. O contato com a multiplicidade de culturas e com o inglês falado em países do continente africano pode beneficiar esse processo, pois abre caminho para um conhecimento mais amplo acerca de outras realidades por meio da leitura, viabilizando uma abordagem mais politizada na discussão de temas que podem contribuir para a reflexão sobre diferentes discursos presentes na sociedade. A partir do reconhecimento das desigualdades, das diferenças e do preconceito em diversas culturas e sociedades (SANTOS, 2003; MUNANGA, 2015; MBEMBE, 2017), torna-se possível repensarmos nossas próprias atitudes e desenvolvermos uma ação transformadora no meio em que estamos inseridos. Tendo por base a necessidade de um LE/inglês cujas preocupações vão além da aprendizagem para fins comunicativos, buscando promover mudanças e romper com as barreiras da sala de aula, este estudo tem como objetivo propor estratégias para um ensino de inglês mais crítico, utilizando contos africanos de autoria feminina em língua inglesa (MAGONA, 1991; GORDIMER, 2001; ADICHIE, 2010) como recurso pedagógico complementar. Com foco nos aspectos culturais dos contos, nas temáticas referentes aos estereótipos construídos pelo ocidente acerca do continente africano e em questões que dizem respeito à transculturalidade e ao protagonismo da mulher africana, esperamos contribuir para a formação de professores da área, bem como para a prática da lei 10.639/03, que estabelece a inclusão do ensino de História da África e das culturas africanas e afro-brasileiras no currículo das escolas públicas e privadas. Utilizando o método bibliográfico documental, desenvolvemos sugestões de atividades com os contos selecionados escritos pelas autoras mencionadas, adotando as visões desconstrucionista (FAIRCLOUGH, 1989) e da comunicação intercultural (KRAMSCH, 1993, 1997, 2001) para o LE/inglês. As atividades foram elaboradas com base na Sequência Básica de Cosson (2006) para o ensino de literatura em associação à Teoria Dialética do Conhecimento (Vasconcellos, 1992). A proposta didática foi pensada a partir dos pressupostos teóricos da Linguística Aplicada Crítica (PENNYCOOK, 2001; RAJAGOPALAN, 2003), da Pedagogia Crítica (GIROUX, 2011) e da Teoria Crítica da Escola de Frunkfurt (ADORNO, 1962), pois todas apresentam uma visão da educação voltada para a emancipação e para as práticas sociais.

 



MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2194174 - ANA GRACA CANAN
Interno - 1720830 - MARCELO DA SILVA AMORIM
Externo à Instituição - EVA CAROLINA DA CUNHA - UFPE
Notícia cadastrada em: 30/08/2017 08:47
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa09-producao.info.ufrn.br.sigaa09-producao