Banca de DEFESA: KARLA GEANE DE OLIVEIRA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : KARLA GEANE DE OLIVEIRA
DATA : 11/08/2017
HORA: 08:30
LOCAL: AUDITÓRIO D - CCHLA
TÍTULO:
A figura feminina e suas  representações discursivas em textos do jornal O PORVIR  (Currais Novos / Rio Grande do Norte – 1926 / 1929)
 

PALAVRAS-CHAVES:

Palavras-chave: Mulher. Jornal O PORVIR (1926-1929). Análise textual. Representação discursiva. Cadeia referencial. Papéis semânticos.

 


PÁGINAS: 250
RESUMO:

A mulher é um participante essencial nos textos do jornal O PORVIR (1926-1929). Esta tese apresenta um estudo das representações discursivas da mulher. O objetivo é examinar o fenômeno das representações discursivas em textos do referido periódico, identificando, descrevendo, analisando e interpretando os processos de construção e reconstrução dessas representações discursivas. O trabalho parte do princípio de que as representações discursivas são atividades de textualização operacionalizadas no texto. A pesquisa é orientada pelo quadro geral da Análise Textual dos Discursos, uma abordagem teórica e descritiva do campo da Linguística Textual proposta por Adam (2011), focalizando a noção de representação discursiva. No presente estudo, a noção de representação discursiva é complementada com os estudos de Grize (1990; 1996; 1997), sobretudo, a lógica natural, os postulados da comunicação discursiva, o postulado de representações e a esquematização. O trabalho parte da hipótese geral de que todo texto constrói representações discursivas, pelo menos em três instâncias, quais sejam, reprA (A), reprA (B) e reprA (T) e que não se trata de relações diretas e simples. Além disso, essas representações discursivas são construídas e reconstruídas no texto, pelo interpretante, a partir de estratégias linguísticas diferentes, em função de um projeto de dizer do enunciador, na construção de sentidos do texto. A metodologia consiste em uma pesquisa documental, de métodos mistos, com uma estratégia de investigação concomitante (CRESWELL, 2010). Os dados constituem-se de 10 textos selecionados no jornal O PORVIR (1926-1929). Para a análise dessas representações discursivas, foram utilizadas operações de textualização específicas: referenciação, modificação da referenciação, predicação, modificação da predicação e a conexão. Os resultados apontam diferentes representações discursivas da mulher, dentre elas,  como mãe, no ambiente da vida familiar. Essa representação discursiva evidencia duas perspectivas distintas, quais sejam, a mãe romântica, idealizada, mais próxima das representações prototípicas da figura da mãe já instauradas socialmente, e como um agente social, responsável pela formação da família e pela preparação dos sujeitos para constituir a sociedade. A mulher, como uma figura feminina, é representada de forma romântica, idealizada e inserida no âmbito religioso. É representada também em uma perspectiva negativa, a partir da qual é qualificada com atributos depreciativos. Há, ainda, representações discursivas da mulher relacionadas à faixa etária e aos processos de tornar-se eleitora, conquistando o direito ao voto. Esses processos conjecturam representações discursivas da mulher quanto à sua emancipação e cidadania, vivendo a transição para a vida pública. De forma geral, trata-se de representações discursivas complexas, instauradas nos textos a partir de estratégias linguísticas diferentes. Os processos de construção e reconstrução dessas representações discursivas se desenvolvem na continuidade textual e estão diretamente relacionados com o processo de construção de sentidos do texto. Além disso, as estratégias linguísticas de introdução e de retomada do referente nos textos afetam a complexidade das representações discursivas operacionalizadas. As retematizações são responsáveis pela reconstrução de representações discursivas da mulher mais complexas, as quais caracterizam/qualificam de forma peculiar o objeto de discurso. Esse comportamento linguístico não ocorre com frequência com os casos de designação imediata ou tardia desse objeto no texto nos dados analisados, uma vez que, constroem e reconstroem representações discursivas da mulher que a perspectivam de forma mais generalizada. As retomadas do objeto de discurso no texto se materializam por vários tipos de processos de referenciação, quais sejam, anáforas resumidoras, anáforas associativas, anáforas pronominais e anáforas especificadoras. As anáforas pronominais têm grande recorrência, corroborando com a manutenção de representações discursivas da mulher na continuidade textual. Concernente às predicações, a mulher assume papéis semânticos de agente, paciente e experienciador. As conexões operam representações discursivas da mulher com mais recorrência por relações semânticas de adversidade entre as unidades textuais. Ademais, relações semânticas de adição, conclusão e explicação, também foram identificadas.

 

 

 

 

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 349707 - LUIS ALVARO SGADARI PASSEGGI
Interno - 349685 - MARIA DAS GRACAS SOARES RODRIGUES
Externo ao Programa - 1168647 - MARIO LOURENCO DE MEDEIROS
Externo à Instituição - ANA LUCIA TINOCO CABRAL - UNICSUL
Externo à Instituição - MARIA DAS VITORIAS NUNES SILVA LOURENCO - FDM
Externo à Instituição - MICHELINE MATTEDI TOMAZI - UFES
Notícia cadastrada em: 14/06/2017 08:35
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa18-producao.info.ufrn.br.sigaa18-producao