Banca de DEFESA: JOSÉ MARCELINO FERREIRA JÚNIOR

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JOSÉ MARCELINO FERREIRA JÚNIOR
DATA : 19/06/2017
HORA: 14:30
LOCAL: CCHLA
TÍTULO:

O Grotesco em Famintos – A experiência estética no ensino de literatura


PALAVRAS-CHAVES:

Luis Romano; Famintos; Grotesco; ensino de literatura; estética da recepção.


PÁGINAS: 166
RESUMO:

Um dos princípios da estética clássica condiciona a obra de arte aos preceitos de harmonia e beleza. Com o intuito de agradar ao seu público, torna-se, portanto, indispensável ao artista o respeito às regras de composição, à verossimilhança, aos fins morais e à imitação da Natureza como fatores determinantes para a representação do Bem, do Belo e do Verdadeiro. No entanto, inúmeros artistas e escritores das mais diversas épocas empregaram em suas criações procedimentos bastantes diferentes, para não dizer opostos, aos moldes do classicismo. Em razão disso, adotou-se para o presente estudo as análises desenvolvidas por Victor Hugo (2002) e Wolfgang Kayser (1986) sobre uma categoria estética a que se veio nomear de Grotesco e em especial a noção de realismo grotesco formulada por Mikhail Bakhtin (1993). De acordo com esses autores, o exagero e a deformação do corpo característicos do grotesco induzem o leitor a perceber uma realidade por vezes oculta. Identificado como um constituinte predominante no romance Famintos, do escritor caboverdiano Luis Romano, o grotesco assume, dessa forma, uma função dupla: apresentar o tema da fome não apenas em seus significados sociais, mas também em seus efeitos sobre o corpo e como um recurso estético de intervenção e resistência da literatura africana (BONNICCI, 2009). Nesse sentido, tomando como ponto de partida as considerações de Jauss (1994) sobre o horizonte de expectativa de uma obra, pode-se dizer que a recepção do texto em que o grotesco predomine se situa em um ponto desconhecido no horizonte de expectativas do leitor. Por isso, em razão do inusitado e surpreendente, considera-se para a proposta de leitura de Famintos a centralidade do leitor como produtor de um segundo texto, construído no primeiro ato da leitura, que é, nessa instância inicial, resultado único de sua capacidade interpretativa subjetiva.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1515458 - MARTA APARECIDA GARCIA GONCALVES
Interno - 1675070 - JOSE LUIZ FERREIRA
Externo ao Programa - 350490 - ANTONIO FERNANDES DE MEDEIROS JUNIOR
Externo à Instituição - DANIELA MARIA SEGABINAZI - UFPB
Notícia cadastrada em: 25/05/2017 10:53
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa25-producao.info.ufrn.br.sigaa25-producao