Banca de DEFESA: MANUELLA SOARES JOVEM

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : MANUELLA SOARES JOVEM
DATA : 30/05/2017
HORA: 14:00
LOCAL: A confirmar
TÍTULO:

A CONSTRUÇÃO [X-VEL]AdjetivoUMA ABORDAGEM FUNCIONAL CENTRADA NO USO


PALAVRAS-CHAVES:

 Palavras-chave: Construção [X-vel]Adjetivo; Morfologia do português; Linguística Funcional Centrada no Uso; Gramática de Construções.


PÁGINAS: 104
RESUMO:

 Este estudo tem como foco central adjetivos formados pelo sufixo -vel no português brasileiro, tomando-os como uma construção, ou seja, como o pareamento de forma e função. O objetivo principal é descrever e explicar formal e funcionalmente a construção [X-vel]Adjetivo. Como aporte teórico, recorre-se à Linguística Funcional Centrada no Uso, conforme defendida, por exemplo, em Cezario e Furtado da Cunha (2013), Oliveira e Rosário (2015). Essa corrente de pesquisa representa a conjugação entre o Funcionalismo norte-americano (Givón, [1979] 2012, 1984, 1995, 2011; Hopper, 1991; Bybee 2006, 2010; Thompson, 2005) e a Gramática de Construções (Goldberg, 1995, 2003, 2006; Croft, 2001; Traugott; Trousdale, 2013). Apoiada nessa perspectiva, a investigação se baseia na ideia de que as línguas são constituídas por uma rede de construções hierarquizadas e inter-relacionadas. Nesta pesquisa, toma-se como base a orientação metodológica da pesquisa qualitativa com suporte quantitativo. Os dados utilizados para a análise foram coletados, principalmente, do Corpus Discurso e Gramática, composto de textos orais e escritos, subdivididos em cinco tipos textuais, produzidos por informantes de cinco cidades brasileiras e de variados níveis de escolaridade. Além disso, foram utilizados também textos de tipologias diversas disponíveis em ambiente eletrônico, por meio do servidor de dados Google. Os resultados desta pesquisa comprovam a importância do estudo dos adjetivos em -vel a partir de seus aspectos formais e funcionais, revelando diferentes motivações implicadas em seus usos. Ademais, algumas ocorrências comprovam a presença do processo de extensão semântica relacionado a cenas transitivas e à estrutura argumental subjacente às bases derivacionais na formação desses adjetivos. Desse modo, corrobora-se a ideia de que os adjetivos formados pelo sufixo -vel preservam a semântica de passividade e de possibilidade, uma vez que se relacionam a referentes passivos/não agentivos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1673239 - JOSE ROMERITO SILVA
Externo ao Programa - 3891450 - ADA LIMA FERREIRA DE SOUSA
Externo à Instituição - CAMILO ROSA DA SILVA - UFPB
Notícia cadastrada em: 08/05/2017 14:33
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa23-producao.info.ufrn.br.sigaa23-producao