Banca de DEFESA: LETICIA BEATRIZ GAMBETTA ABELLA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : LETICIA BEATRIZ GAMBETTA ABELLA
DATA : 21/03/2017
HORA: 08:30
LOCAL: a definir
TÍTULO:

"O PODER HEGEMÔNICO DAS REDES SOCIAIS: uma análise crítica do discurso de quem “vai para rua”


PALAVRAS-CHAVES:

Vem pra rua – Movimento social – Análise crítica - Abordagem Sociológica e Comunicacional do Discurso – Redes Sociais 


PÁGINAS: 176
RESUMO:

As redes sociais, no marco das novas Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs), têm se constituído num espaço de expressão ao alcance de todos aqueles que têm acesso à Internet. No Brasil, 49% dos brasileiros têm acesso à internet, e dentro desse número, 76% acessam todos os dias. Twitter, Facebook, Instagram e várias outras propostas participativas e interativas despertam diversos interesses de comunicação que incluem intercâmbios pessoais de informação e dados, divulgações com propósitos de marketing e várias outras finalidades. Uma das mudanças mais importantes em torno das possibilidades que as redes oferecem surgiu para aqueles que querem conquistar seguidores e defender uma causa. Assim, os movimentos sociais, têm encontrado nesses canais de expressão um terreno fértil de convocatória e interatividade com seus seguidores. Esta tese tem o objetivo de analisar criticamente as manifestações discursivas do movimento Vem pra rua nas suas redes sociais Twitter e Facebook, tomando como ponto de partida o posicionamento do grupo na sua apresentação no seu site oficial.  O Vem pra rua nasceu como movimento social em 2014 e de acordo ao que expressam suas próprias lideranças na página oficial do grupo, trata-se de “um movimento suprapartidário, democrático e plural que surgiu da organização espontânea da sociedade civil para lutar por um Brasil melhor”. A pesquisa está sustentada teoricamente na Abordagem Sociológica e Comunicacional do Discurso (ASCD), braço teórico-metodológico da Análise Crítica do Discurso (ACD) (FAIRCLOUGH, 2001, 2003) que tem, nessa investigação, seu eixo no diálogo transdisciplinar, entre a ACD, a Comunicação para a Mudança Social (CMS) (GUMUCIO-DAGRON, 2004, 2007), a Sociologia aplicada à Mudança Social, a Gramática da Multimodalidade (COPE E KALANTZIS, 2009) e a Linguística Sistêmico Funcional (LSF) (HALLIDAY, 2004). No caso de nosso trabalho, nos apoiamos no Sistema da Avaliatividade da LSF como ferramenta de compreensão dos percursos de construção de sentido que se materializam nos textos atuais caracterizados por construções multisemióticas. Contamos também para consolidar a nossa análise crítica, com a Representação dos Atores Sociais proposta por Theo Van Leeuwen (1997; 2008) que nos leva a encontrar as marcas de inclusão e exclusão nas formas escolhidas pelos emissores para representar os atores no texto. Esta tese busca compreender, através do discurso manifestado nas redes do movimento Vem pra rua, se o movimento de fato, segundo se apresenta, não tem interesses partidários, se sua articulação tem partido da organização popular espontânea e se a mobilização mediática responde a mecanismos democráticos de organização. 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 129.182.454-53 - CLEIDE EMILIA FAYE PEDROSA - UFRN
Externo à Instituição - JOAO BATISTA DA COSTA JUNIOR - IFCE
Externo ao Programa - 3943432 - JOSENILDO SOARES BEZERRA
Externo à Instituição - MARIA APARECIDA RESENDE OTTONI - UFU
Externo ao Programa - 3508635 - RUY ALKMIM ROCHA FILHO
Notícia cadastrada em: 02/03/2017 09:46
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa16-producao.info.ufrn.br.sigaa16-producao