Banca de QUALIFICAÇÃO: FRANCISCO ISRAEL DE CARVALHO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : FRANCISCO ISRAEL DE CARVALHO
DATA : 22/12/2016
HORA: 10:00
LOCAL: Sala 318 – 1º andar - CCHLA
TÍTULO:

A IMAGEM ARTÍSTICA DE CARMEN  MIRANDA NO CENÁRIO DA MODERNIDADE 


PALAVRAS-CHAVES:

Carmen Miranda; Carnavalização; Samba; Cinema; Barroco; Performatividade. 


PÁGINAS: 180
RESUMO:

A proposta deste trabalho tem como objetivo específico a personagem de Carmen Miranda, cantora, atriz e comediante luso-brasileira, enquanto representação simbólica da identidade nacional, desde o início de sua carreira artística, no Rio de Janeiro, no ano de 1929 e representações da América  Latina nos Estados Unidos, a partir de 1939. Como objetivos gerais, inseri-la no contexto em que as expressões populares e afro-brasileiras se uniam, para a consolidação da “invenção do samba” como patrimônio cultural. Carmen Miranda foi a figura feminina principal que contribuiu na construção desses agenciamentos, para o surgimento do que viria a ser a música popular brasileira. Dando voz aos sambas e marchinhas produzidas pelos compositores do morro e compositores brancos, como também, sendo uma das principais estrelas dos primeiros filmes sonoros brasileiros, chamados carnavalescos. A essência deste trabalho é por em relevo a “performance barroca” de Carmen Miranda, no canto e na fantasia da baiana internacional, além da análise de letras que interpretou, tendo como suporte, teóricos como: Severo Sarduy (1979, 1989.1999), Eugênio D´Ors (1990), Omar Calabrese (1987), José Antonio Maravall (2009), Irlemar Chiampi (1998), Afonso Ávila (1997), Afranio Coutinho (1994), Gilles Deleuze (1995, 2005, 2009 e 2012), além de estudiosos do “samba”. A partir dessas premissas, pretendemos concluir o trabalho, propondo que Carmen, através da sua baiana internacional, cria novos signos simbólicos sobre o conceito de nação e da identidade latino-americana, transformando essa fantasia, reciclando, juntando na sua performatividade, elementos da cultura popular, do barroco, redimensionados pelo o excesso, a caricatura, o desperdício, o luxo e a estilização. Personagem catalisadora de opiniões da unanimidade e da divergência, a respeito do título de “Embaixatriz do Samba”, ela apropria-se antropofagicamente, da cultura brasileira (interna) e americana (externa),trazendo uma performance nova, única, neobarroca, original, .posteriormente transformando-se num mito das duas nações.  


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 346839 - FRANCISCO IVAN DA SILVA
Externo ao Programa - 2205908 - RENY GOMES MALDONADO
Externo à Instituição - JOÃO BATISTA DE MORAIS NETO - IFRN
Notícia cadastrada em: 20/12/2016 10:56
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa26-producao.info.ufrn.br.sigaa26-producao