Banca de DEFESA: RICELLE FERNANDES QUEIROZ TINTIN

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : RICELLE FERNANDES QUEIROZ TINTIN
DATA : 27/12/2016
HORA: 15:00
LOCAL: Laboratório de Comunicação Social
TÍTULO:

DISCURSO DA VIOLÊNCIA URBANA E AGENDAMENTO NA MÍDIA RADIOFÔNICA: UM ESTUDO DO CASO MARCELO PESSEGHINI


PALAVRAS-CHAVES:
Estudos da linguagem, Linguística aplicada, Discurso midiático, Agenda-setting, Violência urbana.

PÁGINAS: 85
RESUMO:
Este trabalho aborda a questão relacionada à influência e poder da mídia radiofônica, destacando um episódio de repercussão na imprensa nacional: o “Caso Marcelo Pesseghini”. Ao lançar um olhar sobre o episódio em questão, nos surge o questionamento sobre qual seria o alcance dessa influência midiática, e se estaria a cobertura jornalística atuando como ordenadora de valores e comportamentos, ou até mesmo direcionando a tomada de decisões por parte do público. Para investigar esse fenômeno, analisamos um corpus constituído de notícias veiculadas na mídia radiofônica acerca do referido caso, com o objetivo de demonstrar como ocorre o agendamento da mídia radiofônica e como entram em cena os discursos da mídia nas notícias de violência urbana. Também buscamos identificar os elementos que compõem a construção do discurso radiofônico sobre um caso específico de violência urbana, além de mapear as formações discursivas que se apresentam nos trechos de notícias tomados como corpus. Por fim, procuramos estabelecer possíveis relações entre o agendamento da mídia radiofônica, a construção do discurso da violência urbana e a formação da opinião pública. Como resultado desta pesquisa surgiram algumas categorias que foram elencadas como decorrência do discurso midiático subjacente ao episódio em tela. Nossa metodologia envolve o uso de elementos presentes na análise de discurso (AD) francesa, tal qual a formação discursiva (FD), atrelados aos pressupostos da agenda-setting, se utilizando de uma abordagem qualitativa e, especificamente, o estudo de caso. Nosso referencial teórico abrange desde pressupostos das teorias do rádio e do jornalismo, utilizando-se de autores como Prado (1985), Haye (2005), McCombs e Shaw (1972) e Shoemaker (2011), até a teoria linguística amparada na análise do discurso (AD) de linha francesa, embasando-se em autores como Foucault (2008), Pêcheux (1993) e Orlandi (2015). Ao final, concluímos que as notícias escolhidas e os elementos destacados comprovam a influência da mídia radiofônica e o direcionamento de ideias tendo em vista aquilo que foi noticiado a respeito do caso em questão. Revelam, ainda, como a mídia radiofônica incute um valor de verdade aos pré-julgamentos e investigações a cargo do próprio jornalismo.
 

MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1350248 - ADRIANO LOPES GOMES
Externo ao Programa - 4579763 - SEBASTIAO FAUSTINO PEREIRA FILHO
Externo à Instituição - JOSÉ RICARDO DA SILVEIRA - UERN
Notícia cadastrada em: 14/12/2016 09:18
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa14-producao.info.ufrn.br.sigaa14-producao