Banca de DEFESA: GIEZI ALVES DE OLIVEIRA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : GIEZI ALVES DE OLIVEIRA
DATA : 01/12/2016
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório E
TÍTULO:

A NARRATIVA QUE NOS GUIA, O DISCURSO QUE EMERGE: um estudo acerca do processamento cognitivo do significado em fábulas 


PALAVRAS-CHAVES:

Esquemas; Frames; Frame Discursivo; Narrativa; Simulação Semântica.


PÁGINAS: 97
RESUMO:

Esta tese investiga os processos de construção de sentido em narrativas com base nos pressupostos da Linguística Cognitiva, cujo aporte teórico defende o postulado que a relação entre linguagem e mundo é mediada pela cognição. Discute, assim, a concepção de linguagem, formada na interação entre o aparato biológico humano e a experiência sociocultural, componentes basilares no processo de construção de sentido, conforme estudos de Lakoff e Johnson (1999); Johnson (2007) e Damásio (2011). Defende, especificamente, que a interação comunicativa humana emerge da capacidade cognitiva de construir narrativas (TURNER 1996, 2006; LAKOFF, 2008; LAKOFF e NARAYANAN, 2010) e ativar Frames Discursivos. Esses frames emergem do pareamento entre domínios conceptuais, estruturados por esquemas descritivos abstratos de espaço e movimento (Esquemas-I e Esquemas-X) e molduras comunicativas (dimensões dos frames). A tese propõe, ainda, um modelo de análise construcional da narrativa e dos discursos, com base na descrição dos mecanismos cognitivos que participam do processo de construção dos significados em narrativas fabulosas. A pesquisa é de natureza qualitativa e a abordagem está pautada na introspecção, cujas análises se baseiam nas concepções do próprio pesquisador (TALMY, 2005), mas ancoradas nas premissas teóricas da lc e confrontadas com os dados coletados no corpus. Este, por sua vez, foi constituído por um conjunto de fábulas extraídas das obras de Esopo (2006), Fedro (2001), La Fontaine (2003), Monteiro Lobato (2008) e Sérgio Caparrelli & Márcia Schmaltz (2012). As análises dessas fábulas apontaram para a centralidade dos frames (FILMORE, 1977) e da simulação mental (BARSALOU, 1999) no processo de construção do sentido em narrativas. Sugeriram, ainda, que a influência dos discursos no processo de aculturação social (VAN DIJK, 2012) é estruturado, basicamente, pela combinação de esquemas descritivos e a confrontação de frames discursivos. Por conseguinte, consideramos, neste trabalho, que contar histórias constitui um dos mecanismos cognitivos mais importantes no processo de construção e projeção de experiências reais ou fictícias e que o ato de narrar parece nos conduzir, enquanto seres cognoscentes, a simular atitudes, causas, consequências e intenções; não só dos agentes envolvidos na história, mas, também, dos agentes motivadores da narrativa. Acreditamos que este trabalho possa contribuir para os estudos cognitivistas acerca da compreensão de textos, dos discursos e da gramática de construções corporificada. 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1675404 - PAULO HENRIQUE DUQUE
Externo ao Programa - 3891450 - ADA LIMA FERREIRA DE SOUSA
Externo ao Programa - 6350771 - MARCOS ANTONIO COSTA
Externo à Instituição - ANA FLÁVIA LOPES MAGELA GERHARDT - UFRJ
Externo à Instituição - CARMEN BRUNELLI DE MOURA - UnP
Externo à Instituição - RICARDO YAMASHITA SANTOS - UNP
Notícia cadastrada em: 26/10/2016 14:18
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa04-producao.info.ufrn.br.sigaa04-producao