Banca de QUALIFICAÇÃO: FRANKLIN COSTA DA SILVA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : FRANKLIN COSTA DA SILVA
DATA : 18/10/2016
HORA: 14:00
LOCAL: Setor 2, bloco I, sala 16
TÍTULO:

A sintaxe das Formas Dativas de Segunda Pessoa na escrita brasileira do século XX


PALAVRAS-CHAVES:

Sintaxe; Diacronia; Variação; Mudança; Dativos.


PÁGINAS: 60
RESUMO:

Na presente pesquisa, analisaremos a sintaxe das formas dativas em contexto de segunda pessoa (singular e plural) em cartas privadas do Português Brasileiro (doravante PB), de três diferentes Estados do Nordeste, a saber, Rio Grande do Norte (RN), Pernambuco (PE) e Bahia (BA), correspondências redigidas no século XX. Constituem o nosso corpus exemplares compartilhados no corpus mínimo comum impresso do Projeto para a História do Português Brasileiro – PHPB. Subsidiarão nosso trabalho duas perspectivas teórico-metodológicas: a Teoria da Variação e Mudança (TVM) (cf. WEINREICH; LABOV; HERZOG, (2012 [1968], doravante WLH; LABOV 2008 [1972]; LUCCHESI 2004; TARALLO 2007) e a Teoria dos Princípios e Parâmetros (P&P), da Teoria Gerativa, (cf. CHOMSKY 1995). Para dar conta do processo de variação e possível mudança linguísticas pelos quais passaram/passam as formas dativas no PB, usaremos dados da Língua-E (externa, extensional, em uso). Por conseguinte, para dar conta do que concerne à Língua-I (intencional, involuntária, a capacidade do uso) e suas categorias de análise linguística, faremos uso da (P&P), da Teoria Gerativa. Dessa forma, conduziremos uma análise qualitativa e quantitativa, buscando mapear e explicar a seguinte variável linguística: realização da forma dativa de segunda pessoa em PB. Como variantes dessa variável, observemos as diferentes possibilidades de realização dessas concorrentes, em negrito, a exemplo das formas te/ti, a elipse (ᴓ), o dativo lhe, além do pronome você e do pronome tu precedido das preposições a/para/prá/de. Dentre os demais objetivos que guiarão nossa pesquisa, destacamos o seguinte: pesquisar se a relação gramatical de OI ou de complemento oblíquo, restringe ou favorece, respectivamente, a implementação das variantes linguísticas concorrentes aos pronomes dativos. Acreditamos que, apesar de as formas concorrentes (consideradas do paradigma de você) serem implementadas de forma diferente, concorrendo com as formas de Tu, a relação gramatical de OI ou de OBL não exerçam restrição ou favorecimento às ocorrências das formas inovadoras (cf. GALVES et al, 2016, p. 126). Análise preliminar aponta para uma mudança em curso em favor das formas concorrentes lhe e a elipse (ᴓ), ficando as variantes da norma padrão Te/Ti restritas a contextos específicos. Mesmo em contextos de resistência atestados em pesquisas anteriores, como a de Galves et al (2016), as quais apontam a relação sintática de OI como um favorecedor ao pronome acusativo/dativo ou a tipologia de verbos ditransitivos como os verbos de transferência material, transferência verbal e perceptual, verbos de movimento físico, verbos de movimento abstrato ou de verbos de construção ou criação, licenciadores de dativos (cf. BERLINCK 1996), as formas inovadoras lhe e a elipse têm se mostrado mais produtivas.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 021.613.369-67 - MARCO ANTONIO MARTINS - UFSC
Interno - 1298209 - SHIRLEY DE SOUSA PEREIRA
Externo à Instituição - IZETE LEHMKUHL COELHO - UFSC
Externo à Instituição - ROSANE DE ANDRADE BERLINCK - UNESP
Notícia cadastrada em: 06/10/2016 14:35
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa23-producao.info.ufrn.br.sigaa23-producao