Banca de DEFESA: MARIA DE FATIMA SILVA DOS SANTOS

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : MARIA DE FATIMA SILVA DOS SANTOS
DATA : 22/08/2016
HORA: 08:00
LOCAL: Auditório E do CCHLA
TÍTULO:

REPRESENTAÇÕES DISCURSIVAS DE VÍTIMA E AGRESSOR EM INQUÉRITOS POLICIAIS


PALAVRAS-CHAVES:

Análise textual dos discursos. Marcas linguísticas. Orientação argumentativa. Referenciação. Representação discursiva.


PÁGINAS: 90
RESUMO:

Esta tese tem como objeto de investigação as representações discursivas de vítima e de agressor em textos de inquéritos policiais. As questões que norteiam a pesquisa são: a) quais as representações discursivas de vítima e de agressor em inquéritos policiais? b) como as representações discursivas de vítima e de agressor são construídas nesse documento pelos operadores da polícia e qual o papel que essas representações desempenham para a orientação argumentativa do texto? Diante delas, o objetivo geral da pesquisa é investigar a composição das representações discursivas de vítima e de agressor em inquéritos policiais. Como objetivo específico, analisa o modo como a composição de uma representação (vítima, agressor) contribui para a construção de sentidos nos textos dos inquéritos analisados. Parte-se da hipótese de que as escolhas linguísticas utilizadas para construir uma determinada representação, no caso, a representação discursiva de vítima e de agressor, são feitas com um determinado objetivo, isto é, em função de um determinado propósito argumentativo, de acordo com as intenções do enunciador (sua visada discursiva) – defender(-se) e/ou acusar, incriminar. A pesquisa insere-se no âmbito teórico geral da Linguística de Texto, mais especificamente, na Análise Textual dos Discursos (ATD), proposta por Adam (2011). O conceito de representação discursiva, conforme desenvolvido pela ATD, constitui um dos aspectos mais importantes da dimensão semântica do texto e é, aqui, complementado pelos trabalhos de Grize (1996), a partir da noção de esquematização discursiva. Inserida no paradigma qualitativo de caráter descritivo, trata-se de uma pesquisa documental, cujo corpus é constituído por nove inquéritos policiais relacionados com crimes de violência praticados contra a mulher. Nos procedimentos de análise, utiliza-se as categorias teóricas da representação discursiva, como a referenciação, a predicação, a modificação, a localização espaço-temporal, a conexão e a comparação. Os resultados evidenciam que as representações discursivas de vítima e de agressor são construídas de modo diverso, nos vários documentos do inquérito, conforme as perspectivas (ou pontos de vista) das fontes enunciativas por intermédio das quais se tenta reconstituir o fato imputado como delituoso – a agressão contra uma mulher. Em função de suas ações de linguagem (visadas, objetivos), em situações enunciativas marcadas por uma delegacia de polícia, tem-se a construção discursiva de uma imagem institucionalizada por vozes (enunciadores) documentadas e, como tal, instituídas como fontes autorizadas de um dizer constitutivo da figura jurídico-policial “vítima”. Desse modo, a partir do que dizem nos textos analisados (a própria vítima, as testemunhas, os acusados e a delegada), as imagens ou representações de “vítima” e de “agressor” podem ser consideradas, enunciativamente, como o efeito de estratégias argumentativas no sentido de promover ações discursivas próprias da formação sócio-discursiva jurídico-policial. Conclui-se que as representações discursivas de vítima e de agressor, construídas pelos diferentes enunciadores, passam pelas escolhas lexicais, colaboram no projeto de dizer e marcam uma orientação argumentativa. Ressalta-se ainda, a existência de representações mais específicas de violência contra a mulher nos textos analisados como: agressões verbais, gritos, empurrões, agressões físicas, ameaças, medo, a mulher ser percebida apenas como objeto sexual, acusação de ter amantes, desprezo.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 337223 - JOAO GOMES DA SILVA NETO
Interno - 2194174 - ANA GRACA CANAN
Interno - 349707 - LUIS ALVARO SGADARI PASSEGGI
Interno - 349685 - MARIA DAS GRACAS SOARES RODRIGUES
Externo à Instituição - CELIA MARIA MEDEIROS BARBOSA DA SILVA - UnP
Externo à Instituição - GIOVANNI DAMELE - ULISBOA
Externo à Instituição - ROSALICE BOTELHO WAKIM SOUZA PINTO - UNL
Notícia cadastrada em: 17/08/2016 08:30
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa23-producao.info.ufrn.br.sigaa23-producao