Banca de QUALIFICAÇÃO: MARIA CLEIDIMAR FERNANDES DE BRITO



Uma banca de QUALIFICAÇÃO DE MESTRADO foi cadastrada pelo programa.

DISCENTE: MARIA CLEIDIMAR FERNANDES DE BRITO
DATA: 09/05/2016
HORA: 08:30
LOCAL: Auditório C - CCHLA
TÍTULO:

Escola e Família: Práticas de letramento, vivências e memórias


RESUMO:

Políticas públicas e pesquisas em letramento familiar, em vários países desenvolvidos, são uma realidade desde a década de 90 que, dentre outros objetivos, visam engajar a família na escola e melhorar o desempenho educacional da criança. No Brasil, a relevância desta relação vem sendo discutida ao longo de décadas, primeiro com os precursores da escola nova, na década de 30, e com maior fervor após o advento dos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN), lançado em 15 de outubro de 1997 e, mais recente, com estudos embrionários em letramento familiar. Entretanto, a ausência de políticas públicas nessa perspectiva é latente. Cientes desta realidade, propusemo-nos, por meio desta pesquisa, debater e, sobretudo, promover um espaço de engajamento da família no espaço escolar por meio de práticas e eventos de letramento familiar. Nesta perspectiva, procuramos (i) envolver as famílias em práticas e eventos de letramento familiar no ambiente escolar, valorizando suas memórias de leitura, produções textuais e reflexões; (ii) investigaro hábito de leitura e de escrita no cotidiano das famílias; (iii) avaliar os eventos de letramento familiar na escola, atentando para as resistências e os impactos na relação família-escola. Do ponto de vista teórico, fomos guiados pelo prisma dos estudos de letramento (inserir os teóricos entre parêntese, caixa alta, data e ponto e vírgula entre eles), em específico, no que concerne ao letramento familiar (acrescentar os teóricos entre parêntese, caixa alta, data e ponto e vírgula entre eles) e aos projetos de letramento [familiar] (inserir os teóricos entre parêntese, caixa alta, data e ponto e vírgula entre eles). E do ponto de vista metodológico, nossa pesquisa se insere no campo da Linguística Aplicada, primando pela abordagem qualitativa (inserir os teóricos entre parêntese, caixa alta, data e ponto e vírgula entre eles), de vertente etnográfica crítica (inserir os teóricos entre parêntese, caixa alta, data e ponto e vírgula entre eles).  Com base nos dados analisados, pudemos perceber que: (i) os projetos de letramento familiar possibilitam, por meio dos eventos do letramento de familiar, o engajamento da família e estabelece um espaço aberto para o debate, a construção e troca de saberes; (ii) que as famílias se utilizam das leitura e da escrita de acordo com as demandas sociais da escrita; (iii) logo, descontruímos o mito de que as famílias das camadas populares nunca ou quase nunca leem ou escreve e tampouco se  interessam pela vida escolar da criança. Contudo, o fortalecimento desta relação perpassa, necessariamente, pelo envolvimento político e pedagógico da escola, e que os projetos de letramento familiar são caminhos possíveis para o envolvimento e fortalecimento da relação família-escola, de forma, reflexiva, compartilha e cooperativa.

Palavras-chave: Letramento familiar. Projetos de letramento. Práticas e eventos de letramento familiar; engajamento e reflexão crítica entre família e escola.

 


PALAVRAS-CHAVE:

Letramento familiar. Projeto e ensino. Eventos e práticas colaborativas. Relações família-escola.


PÁGINAS: 135
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Lingüística
SUBÁREA: Lingüística Aplicada

MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 332207 - MARIA DO SOCORRO OLIVEIRA
Interno - 2087054 - GLICIA MARILI AZEVEDO DE MEDEIROS TINOCO
Externo à Instituição - IVONEIDE BEZERRA DE ARAÚJO SANTOS MARQUES - IFRN
Notícia cadastrada em: 05/05/2016 13:47
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa22-producao.info.ufrn.br.sigaa22-producao