Banca de QUALIFICAÇÃO: HERASMO BRAGA DE OLIVEIRA BRITO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: HERASMO BRAGA DE OLIVEIRA BRITO
DATA: 29/02/2016
HORA: 09:00
LOCAL: setor 2, bloco D, sala 4
TÍTULO:

A CONFIGURAÇÃO DO NEORREGIONALISMO BRASILEIRO


PALAVRAS-CHAVES:

Neorregionalismo; Narrativa; Literatura Brasileira; História da Literatura; Autores Neorregionalistas


PÁGINAS: 68
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Letras
SUBÁREA: Literatura Comparada
RESUMO:

Este estudo tem como objetivo analisar a configuração literária do neorregionalismo brasileiro, em observância de alguns dos elementos para base da categorização a autonomia feminina nas obras e a predominância não mais do espaço rural, mas sim urbano. Destaca-se que a maior parte desses romances neorregionalistas segue a tônica da escrita memorialista como fator de resistência e memória dos aspectos regionais no tocante a sua valorização. Utiliza-se para estudos da caracterização do neorregionalismo brasileiro as obras Beira Rio, Beira Vida; A Filha do Meio-Quilo; Pacamão de Assis Brasil - Sombra Severa; Somos Pedras que se Consomem; Ao Redor do Escorpião uma Tarântula? de Raimundo Carrero -  Relato de um certo oriente; Dois Irmãos e Cinzas do Norte de Milton Hatoum - Coivara da Memória; Cartilha do Silêncio; Os Desvalidos de Francisco Dantas, Galiléia e Estive lá fora de Ronaldo Correia de Brito. Pretende-se analisar como o regionalismo surgiu e se desenvolveu em conflito com a modernização; como o neorregionalismo se constitui um fenômeno urbano; como as personagens femininas no neorregionalismo se vestem de autonomia ao contrário das obras anteriores; como a escrita memorialista atua como fator de resistência na valorização da cultura regional.  A presente pesquisa caracteriza-se, essencialmente, como bibliográfica. Utilizando-se como base os seguintes autores: Araújo (2010), Bachelard (1993), Bakhtin (2011), Bueno (2006), Candido (2000), (2006), Chiappini (2014), Williams (1989). Buscou-se, primeiro, a fundamentação necessária para caracterizar essa nova tendência literária brasileira. Em seguida, a análise da autonomia feminina para configuração do neorregionalismo brasileiro. Na terceira parte, abordamos o espaço como elemento não só de composição de análise para a comprovação do neorregionalismo, mas, principalmente, como agente de relevante contribuição para o desenvolvimento das experiências dos personagens, em especial as femininas. E por último, os estudos sobre a memória neorregionalista como instrumento de resistência à crescente globalização da cultura com sua homogeneização.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 155.661.454-34 - HUMBERTO HERMENEGILDO DE ARAUJO - UFRN
Interno - 1675070 - JOSE LUIZ FERREIRA
Externo à Instituição - CASSIA DE FATIMA MATOS DOS SANTOS - UERN
Notícia cadastrada em: 24/02/2016 15:07
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa10-producao.info.ufrn.br.sigaa10-producao