Banca de QUALIFICAÇÃO: MARIA DO CÉU MENDES PAIXÃO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARIA DO CÉU MENDES PAIXÃO
DATA: 16/11/2015
HORA: 14:30
LOCAL: Sala 4 da ECT
TÍTULO:

A construção do texto argumentativo no ensino fundamental e médio de escolas da Região do Trairi norte-rio-grandense


PALAVRAS-CHAVES:

Argumentação. Carta reivindicatória. Escrita. Reescrita.


PÁGINAS: 60
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Lingüística
SUBÁREA: Lingüística Aplicada
RESUMO:

As discussões em torno do processo de ensino-aprendizagem de escrita estão em evidência, no Brasil, desde os anos de 1980. Mais recentemente, pesquisadores (PLATÃO e FIORIN, 1998; BRANDÃO, 2001; BARBOSA, 2005) têm se dedicado a investir no trabalho didático com textos da ordem do argumentar – em especial, o artigo de opinião, a carta argumentativa, o debate. Isso se justifica pelo fato de a argumentação ser de grande valia para responder a demandas sociais cotidianas. Todavia, persiste um descompasso entre o debate acadêmico e a ação escolar, posto que ainda predomina o ensino tradicional caracterizado pelo exercício mandatário da escrita, que se restringe à determinação de temas para a construção de redações, conforme vimos em Lopes (2014) e confirmamos na fase exploratória desta pesquisa. Nesse sentido, vislumbrando contribuir com a reflexão em torno dessa temática, esta pesquisa pretende focalizar o processo de construção do texto argumentativo desde a situação comunicativa que o provocou até as sessões de escrita de três versões de uma carta reivindicatória produzida por estudantes de 9o ano do ensino fundamental de uma escola particular de Santa Cruz/RN. Dessa carta, cuja destinatária é a Prefeita da Cidade de Santa Cruz/RN, concentraremos nossa atenção nas estratégias argumentativas engendradas desde a primeira versão até a última, encaminhada à Prefeitura embora também haja sinalização para alguns problemas de argumentação, questões relacionadas ao gênero discursivo em destaque, além de aspectos linguístico-gramaticais e ortográficos. Compreendemos porém que, no debate de uma questão polêmica, a análise das estratégias argumentativas pode-se revelar um procedimento importante para o posicionamento do(s) escrevente(s) e seu potencial de convencimento a partir da plausibilidade dos argumentos utilizados, por isso o realce nesse aspecto. Com o intuito de alcançarmos nosso objetivo, fundamentamo-nos em um aporte teórico estruturado a partir da concepção dialógica da língua(gem) (BAKHTIN [1929] 2009), dos estudos de letramento (KLEIMAN, 1995; TINOCO, 2008), da teoria da argumentação (PERELMAN, 2005; MEYER, 2008; FIORIN, 2015; LIBERALI, 2015) e, no aspecto metodológico, ancoramo-nos na Linguística Aplicada (MOITA LOPES, 2006, 2009). Os resultados preliminares dessa análise apontam para o uso de algumas estratégias argumentativas interessantes (exemplificação, causa e efeito, dados quantitativos) que parecem ter sido culminância do empenho de estudantes que viram nessa prática de escrita a possibilidade de intervirem em um problema vivenciado pelos moradores de Santa Cruz/RN, encontrando um significado real para escrever e reescrever textos para um interlocutor bem definido, com um objetivo social a ser alcançado. Essa prática demonstra que a escrita pode ser utilizada como instrumento de poder para a reivindicação de direitos sociais.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2087054 - GLICIA MARILI AZEVEDO DE MEDEIROS TINOCO
Externo ao Programa - 1929360 - ANA VIRGINIA LIMA DA SILVA
Externo à Instituição - IVONEIDE BEZERRA DE ARAUJO SANTOS - IFRN
Notícia cadastrada em: 13/10/2015 08:51
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa13-producao.info.ufrn.br.sigaa13-producao