Banca de DEFESA: JOÃO MARIA FREIRE ALVES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JOÃO MARIA FREIRE ALVES
DATA: 08/09/2015
HORA: 09:00
LOCAL: AUDITÓRIO C
TÍTULO:

“O homem porno-gráfico: identidade inacabada em Glauco Mattoso”


PALAVRAS-CHAVES:

Glauco Mattosso, Literatura, identidade


PÁGINAS: 95
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Letras
SUBÁREA: Literatura Comparada
RESUMO:

A pesquisa analisa a produção de Pedro José Ferreira da Silva (paulistano, 1951) -  Glauco Mattoso. Poeta, cronista, ensaísta, tradutor, letrista, Mattoso integra uma geração de escritores que inova a produção literária no Brasil. A análise centra-se no inusitado romance, escrito em forma de 200 sonetos, “Raymundo Curupyra, o Caypora”, e aborda a relação da obra, seus personagens, enredo, temáticas e estilo formal com a tese da fragmentação identitária, tendo-se como referenciais teóricos Baumam (1998), Hall (2005) e Bernd (2011). A nova configuração do Masculino é também objeto da análise, partindo-se de autores como Badinter (1986), Hamburger (2007), Sontag (2008) e Campos (2012). Também abordar-se-á a temática da Descolonização, tal como proposta por Fanon (1979) e Memmi (1997). A partir da desconstrução dos estereótipos de homens, do multi-facetamento do machismo na sociedade atual, que Identidade Masculina permeia a escrita de Mattoso? Em que medida a teoria da Descolonização se aproxima da sua poética? Que noções e conceitos, formas e conteúdos podem-se apreender de sua temática? Que mecanismos culturais justificam a subversão da poesia marginal em Glauco Mattoso? Pretende-se analisar, também, a compreensão da “imagem de macho”, na constituição da voz narrativa; reconhecer os mecanismos culturais de subversão da poesia marginal em Mattoso; pesquisar que referenciais de “macho”, “homem” “virilidade social” permeiam sua poética; evidenciar a postura de revolução cultural desencadeada na forma de sua produção poética. E ainda: verificar o diálogo do poeta com outras temáticas relacionadas à Identidade Masculina e até que ponto o seu “porno-grafismo” deixa de ser apelativo para apresentar rigor formal e qualidade estética, ao ponto de fazer do escritor um dos ícones da escrita marginal brasileira.

 


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1055142 - FRANCISCO FABIO VIEIRA MARCOLINO
Externo à Instituição - JOÃO BATISTA DE MORAIS NETO - IFRN
Presidente - 1674934 - TANIA MARIA DE ARAUJO LIMA
Notícia cadastrada em: 12/08/2015 14:10
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa09-producao.info.ufrn.br.sigaa09-producao