Banca de QUALIFICAÇÃO: MARIA DE FÁTIMA DE LIMA LOPES

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARIA DE FÁTIMA DE LIMA LOPES
DATA: 20/08/2015
HORA: 14:30
LOCAL: sala 325
TÍTULO:

OS LEÕES DE KULUMANI

Patriarcalismo e Pós-colonialismo em Confissão da Leoa, de Mia Couto

 


PALAVRAS-CHAVES:

Palavras-chave: Mia Couto; Pós-Colonialismo; Crítica feminista


PÁGINAS: 46
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Letras
SUBÁREA: Literatura Comparada
RESUMO:

RESUMO

 

O romance A Confissão da leoa de Mia Couto, discorre sobre ataques de leões que aterrorizam Kulumani, uma aldeia moçambicana, os quais têm vitimado principalmente mulheres. No entanto, a narrativa não é uma história de caçadas, uma vez que o autor utiliza os leões como metáfora para denunciar os discursos de poder que regem aquela sociedade e que se refletem, sobretudo, na vida das mulheres. Violência, amor, silêncio, resistência, submissão, luta, invisibilidade, subversão, são alguns dos elementos que constituem as personagens femininas da obra de Couto, personagens que nos levam a refletir sobre a realidade de muitas mulheres africanas, uma vez que o romance é baseado em fatos reais. Muitas delas têm suas vidas marcadas pela opressão, pela violência e sofrem o estigma da mulher pós-colonial que foi duplamente marginalizada.  Contudo, mesmo dentro das esferas de dominação, a resistência se faz presente, através como a narração e a escrita de um diário pela personagem central do romance Mariamar. A resistência pela língua aos discursos de dominação dá-se na própria forma das literaturas pós-coloniais que constituem um mecanismo de subversão ao imperialismo cultural. Este trabalho tem por objetivo analisar o romance A confissão da leoa a partir dos pressupostos da crítica pós-colonial e da crítica literária feminista a partir de leituras de Paulina Chiziane, Chimamanda Adichie,  Rita Chaves, José Luís Cabaço. A leitura a partir de pressupostos teóricos da crítica literária feminista e da crítica pós-colonialista possibilita a análise e a investigação dos discursos de dominação do romance que utiliza a história da caçada aos leões como alegoria para denunciar o verdadeiro assassino das mulheres de Kulumani: o patriarcalismo.

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1674934 - TANIA MARIA DE ARAUJO LIMA
Notícia cadastrada em: 11/08/2015 09:05
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa04-producao.info.ufrn.br.sigaa04-producao