Banca de QUALIFICAÇÃO: DEBORA KARLA FERNANDES DANTAS

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DEBORA KARLA FERNANDES DANTAS
DATA: 10/08/2015
HORA: 14:30
LOCAL: a definir
TÍTULO:

ESPELHO MÁGICO: HUMOR, IMAGENS DESCONSTRUÍDAS E ESPAÇOS INDEFINIDOS NA POÉTICA DE MARIO QUINTANA


PALAVRAS-CHAVES:

Mario Quintana; Espelho Mágico; humor, imagens; espaços.


PÁGINAS: 50
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Letras
SUBÁREA: Literatura Comparada
RESUMO:

Esta dissertação denominada Espelho Mágico: humor, imagens desconstruídas e espaços indefinidos na poética de Mario Quintana, tem como objetivo geral empreender uma investigação e problematização acerca do humor, das imagens e espaços refletidos na obra Espelho Mágico (1951), do poeta alegretense, Mario de Miranda Quintana. Nela, vemos que, através dos recursos da sátira, ironia e humor de que o poeta faz uso, problematizam-se e insurgem-se na obra imagens e espaços que não se evidenciam no “real”. E incidem na contestação utópica ou mítica.  Objetivamos ainda discutir a relação do poeta com a linguagem, o discurso e a escritura na perspectiva da desconstrução e da indeterminação das imagens e espacialidades que os constituem. Para isso, utilizaremos como ações de pesquisa trazer relações existentes, quanto ao livro-objeto de nossa dissertação, com sua fortuna crítica e buscaremos desenvolver nossa abordagem por meio de configurações teóricas, literárias e filosóficas que contribuam para a elucidação e fundamentação desta. Com FACIOLI (2010), nos acercaremos da questão da ironia, a qual será discutida também na problemática da lógica do sentido, em DELEUZE (1974), para instaurar as articulações entre a satírica, a ironia e a humorística. O estudo de ALBERTI (1999), a respeito do riso e do risível, nos fundamentará concernentemente às posições da modernidade em face às posições filosóficas anteriores a esta, numa perspectiva historiográfica. Em FOUCAULT (2006), trabalharemos a problemática do espelho como espaço da utopia e da heterotopia. Situaremos também o espaço na obra quintaniana correlacionado ao estudo do espaço literário, em BLANCHOT (2003). Tendo em vista tais problemáticas e questionamentos, visaremos, por fim, a mostrar, em Espelho Mágico, de que maneira se obtêm sentidos imprevistos, capazes de criar o novo, ou de recriar outros, no processo de significância a que a obra dá lugar, em sua desconstrução de imagens cristalizadas e de espaços definidos, desarmando, assim, verdades estabelecidas.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 270.058.107-59 - ILZA MATIAS DE SOUSA - UFRN
Interno - 1515458 - MARTA APARECIDA GARCIA GONCALVES
Externo ao Programa - 350490 - ANTONIO FERNANDES DE MEDEIROS JUNIOR
Notícia cadastrada em: 23/07/2015 11:02
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa17-producao.info.ufrn.br.sigaa17-producao