Banca de DEFESA: MICHELLE PATRICIA PAULISTA DA ROCHA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MICHELLE PATRICIA PAULISTA DA ROCHA
DATA: 02/02/2015
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório A do CCHLA
TÍTULO:

MEMÓRIAS DE INFÂNCIA E LEITURAS: LETRAMENTOS E AUTOBIOGRAFIA NO PROJETO DE ESCRITA LITERÁRIA DE BARTOLOMEU CAMPOS QUEIRÓS


PALAVRAS-CHAVES:

Bartolomeu Campos Queirós; letramento; memórias; autobiografia


PÁGINAS: 82
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Letras
SUBÁREA: Literatura Comparada
RESUMO:

O presente trabalho tem como objetivo estudar a obra de Bartolomeu Campos Queirós, especialmente as narrativas que tratam de uma infância que pode ser a do escritor Bartolomeu, a saber: Indez; Por parte de pai; e Ler, escrever e fazer conta de cabeça, as quais relatam fatos significativos que, de igual maneira, podem ser da vida do autor — sob a ótica dele próprio. A “trilogia”, como escolhemos chamar, expõe a infância como um tempo de alegria, mas também como uma fase da vida intensamente permeada de dúvidas, temores e inquietações. Partimos da leitura da “trilogia” para comprovarmos o caráter autonarrativo da escrita queirosiana, exemplificada nos três títulos referidos. Ancorados nos pressupostos teóricos de Lejeune (1975), Brandão (2008), Amorim (2012), Izquierdo (2004), Paulino (2010) et al., encontramos, na obra de Queirós, vestígios de uma escrita memorialística, mas que cumpre uma rota particular de recuperação de lembranças, deixando à vista um pacto autobiográfico, que dá ao conjunto dos três livros vieses de escrita autobiográfica. Identificada a perspectiva memorialista e autobiográfica do conjunto das três narrativas mencionadas, consideramos ainda o papel do tempo — ora como kronos, ora como fator meteorológico, climático —, possível de ser “lido”, e da relevância que ocupa nas narrativas. Paralelamente às questões de memória, abordaremos ainda a temática do letramento, procurando chegar a uma descrição de como se deu tal processo em Bartolomeu, destacando as muitas particularidades neste percurso. Pretendemos identificar marcas em sua literatura decorrentes desse trajeto, como sendo a produção literária do autor fruto de experiências vividas, sobretudo no convívio junto ao avô Joaquim, retratado em Por parte de pai, bem como de sua sensibilidade e vocação poética. Algumas dessas experiências encontram lugar em Ler, escrever e fazer conta de cabeça. Observamos o percurso de alfabetização do menino das histórias, bem como os caminhos que conduzem aos processos de letramentos literário e familiar, destacando a figura fundamental do avô paterno Joaquim Queirós, como um dos principais atores pedagógicos (AMORIM 2012) na formação do menino Antônio, protagonista de Indez.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1720830 - MARCELO DA SILVA AMORIM
Interno - 349739 - HUMBERTO HERMENEGILDO DE ARAUJO
Externo à Instituição - MARIA TERESA GONÇALVES PEREIRA - UERJ
Notícia cadastrada em: 09/01/2015 15:14
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa01-producao.info.ufrn.br.sigaa01-producao