Banca de QUALIFICAÇÃO: RODRIGO SANTOS MAGALHÃES

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: RODRIGO SANTOS MAGALHÃES
DATA: 30/05/2014
HORA: 14:00
LOCAL: CCHLA, 2º andar, Sala 314 (D&G)
TÍTULO:

A relação forma e significado em versões da Bíblia


PALAVRAS-CHAVES:

Versões bíblicas. Relação forma-significado. Processos de compreensão textual. Linguística Funcional Centrada no Uso.


PÁGINAS: 63
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Lingüística
SUBÁREA: Teoria e Análise Lingüística
RESUMO:

Este trabalho trata da análise de textos de duas versões distintas da Bíblia da vertente protestante, a saber: a Almeida, Revista e Corrigida (ARC) e a Nova Tradução na Linguagemde Hoje (NTLH). Nesse sentido, investiga as configurações linguístico-textuais dessas versões na tentativa de identificar possíveis diferenças entre elas e implicações na atribuição de sentido de uma e de outra. A Bíblia é um livro com influência histórica e sua importância não se limita somente à esfera religiosa, sendo também considerada, por muitos, como uma obra de alto valor literário. Ela continua em plena e ampla circulação no contexto histórico-religioso-cultural do mundo de hoje (inclusive no Brasil). Além disso, esse livro reúne aspectos discursivos e linguístico-textuais importantes a serem investigados, especialmente, se considerado o fato de podermos confrontar suas diferentes traduções. Das duas versões bíblicas (ARC e NTLH), interessam-nos particularmente três gêneros discursivos distintos, sendo cinco textos de cada versão, o que resulta num total de dez. A esse respeito, consideramos, ainda, as variadas sequências tipológicas envolvidas na organização dos gêneros discursivos selecionados, observando se a predominância de uma dessas sequências implica maior ou menor facilidade de compreensão. Utilizamos, também, como suporte de análise, protocolos de leitura de informantes diversificados, levando em consideração o credo religioso, o grau de escolaridade e a faixa etária, a fim de verificar se as diferenças formais dos textos escolhidos e o perfil social dos leitores motivam possíveis alterações no processo de compreensão textual. Para a realização da análise, tomamos como suporte teórico-metodológico a Linguística Funcional Centrada no Uso (ou Linguística Cognitivo-Funcional), a qual aglutina contribuições da tradição funcionalista norte-americana e da Linguística Cognitiva.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1673239 - JOSE ROMERITO SILVA
Interno - 1551756 - EDVALDO BALDUINO BISPO
Interno - 345.159.097-20 - MARIA ANGELICA FURTADO DA CUNHA - UFRN
Notícia cadastrada em: 29/05/2014 15:49
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa27-producao.info.ufrn.br.sigaa27-producao