Banca de DEFESA: CAMILA MARIA GOMES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CAMILA MARIA GOMES
DATA: 16/05/2014
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório B do CCHLA
TÍTULO:

Modelos de realizações discursivas nos benditos populares


PALAVRAS-CHAVES:

Tradições discursivas; oralidade; benditos


PÁGINAS: 86
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Letras
SUBÁREA: Literatura Comparada
RESUMO:

Com o intuito de contribuir para o entendimento dos processos constitutivos dos textos orais, buscamos, com este trabalho, estabelecer como se estabelece os processos de formulaicidade no patrimônio imaterial religioso dos quais temos contato: os benditos populares e as novenas. Para isso, fizemos um apanhado geral sobre a realização das repetições que se estabelecem no corpus recolhido para o estudo, levando em consideração o processo das Tradições Discursivas nos textos a serem analisados. Vale salientar que o corpus é composto por benditos e novenas recolhidos no município de Lajes, no Rio Grande do Norte. Em relação ao arcabouço teórico utilizado para orientar a pesquisa, versamos nossas análises pelos pressupostos teóricos das Tradições Discursivas (TDs), com as ideias defendidas por Johannes Kabatek, além de levar em consideração os pressupostos de Paul Zumthor sobre a oralidade nos textos religiosos populares, entre outros autores citados ao longo do texto. Assim sendo, podemos dizer que, no âmbito das culturas populares, a existência dos textos orais serve para diversos objetivos interativos e isso não é diferente nos Benditos populares e nas novenas. Ainda nesse sentido, focalizando o olhar para a teoria das Tradições Discursivas (TDs), podemos verificar que os textos/discursos portam algumas tradições, o que significa que eles apresentam regularidades discursivas ou formas textuais já produzidas pela sociedade, em momentos anteriores, que permanecem ou se modifica ao longo de sua existência, assim como nos mostra Johannes Kabatek (2001, 2003, 2005 e 2006). Ainda nesse mesmo sentido, Paul Zumthor (1993) nos apresenta a ideia de que falar em “palavra”, no seu real sentido, implica em admiti-la como algo que possui um poder imensurável, que é capaz de decidir rumos no mundo e é daí que se estabelece a “riqueza das tradições orais”.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1987097 - ANA SANTANA SOUZA
Presidente - 1723874 - LUCRECIO ARAUJO DE SA JUNIOR
Externo à Instituição - VALÉRIA SEVERINA GOMES - UFRPE
Notícia cadastrada em: 08/05/2014 15:47
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa04-producao.info.ufrn.br.sigaa04-producao