Banca de DEFESA: FRANCISCO GUARACI GOMES DE OLIVEIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : FRANCISCO GUARACI GOMES DE OLIVEIRA
DATA : 19/06/2024
HORA: 14:00
LOCAL: Remoto - videoconferência
TÍTULO:

Erosão e Reflorestamento na Caatinga: Aplicação da RUSLE3D e USPED Combinada com Inteligência Artificial


PALAVRAS-CHAVES:

Seridó, Floresta Tropical Seca, Sustentabilidade, Algoritmo Genético


PÁGINAS: 87
RESUMO:

O presente estudo aborda a problemática da erosão do solo no bioma Caatinga, destacando como a alteração do uso e cobertura do solo e a falta de manejo adequado têm acelerado a degradação ambiental. A expansão da agropecuária e a redução da vegetação nativa têm exposto o solo à erosão, que podem comprometer a produtividade e a sustentabilidade dos ecossistemas locais. Além disso, a degradação do solo contribui para a perda de biodiversidade e a liberação de carbono na atmosfera, agravando as mudanças climáticas. Para enfrentar esses desafios, são necessárias estratégias de gestão sustentável e a aplicação de tecnologias avançadas, como modelos preditivos e inteligência artificial, para identificar áreas prioritárias para intervenção e otimizar os esforços de conservação. Diante disso, esse estudo teve como objetivo analisar o efeito da mudança do uso e ocupação do solo sobre os processos erosivos na Caatinga e a eficácia das estratégias de reflorestamento elaborado com a utilização de Inteligência Artificial no controle da erosão. No primeiro artigo, foi aplicado o modelo RUSLE3D à Bacia Hidrográfica do Rio Seridó (BHRS) para analisar a erosão do solo durante os anos de 1988 e 2018. O estudo revelou uma redução significativa da vegetação nativa, com diminuição de 15,12% na Floresta de Caatinga. Além disso, mais de 35% da área estudada sofreu alterações no uso do solo, principalmente pela expansão da agropecuária. Apesar da diminuição média da perda de solo ao longo do tempo, notou-se uma relação entre a redução da cobertura vegetal e o aumento da erosão. Assim, é essencial implementar práticas de manejo sustentável para controlar a erosão na Caatinga, destacando as encostas e áreas de solo exposto como as mais vulneráveis. No segundo artigo, foi proposta a restauração florestal na Caatinga usando algoritmos de otimização para identificar áreas prioritárias para reflorestamento. A aplicação do modelo USPED e algoritmos genéticos considerando uma proposta de aumento de 20% na cobertura florestal acarretou a redução da perda de solo de 105 mil para 75 mil Ton/ano. O reflorestamento proposto pelo algoritmo melhorou a estabilidade do solo, ampliando as áreas estáveis de 39,48% para 43,07%, mas levou a um aumento na fragmentação, o que pode impactar negativamente o armazenamento de carbono e maior efeito de borda. Desta forma, o uso de inteligência artificial mostrou-se eficaz na otimização da restauração florestal, mas deve-se considerar o equilíbrio entre a mitigação da erosão e a manutenção da conectividade dos fragmentos vegetais. Espera-se que os resultados possam promover subsídios para a melhoria da sustentabilidade ambiental e o bem-estar na Caatinga da BHRS.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1305184 - JHONES DA SILVA AMORIM
Externo à Instituição - DANILO PAULUCIO DA SILVA - UESB
Externo à Instituição - RUBENS JUNQUEIRA - UFLA
Notícia cadastrada em: 11/06/2024 10:05
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa14-producao.info.ufrn.br.sigaa14-producao