Banca de DEFESA: BRUNA FERREIRA DOS ANJOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : BRUNA FERREIRA DOS ANJOS
DATA : 30/06/2021
HORA: 14:00
LOCAL: Sala do Google Meet
TÍTULO:

PRODUÇÃO DE AGENTES COAGULANTES PARA CLARIFICAÇÃO DA ÁGUA APARTIR DE TANINOS DE ESPÉCIES FLORESTAIS DA CAATINGA


PALAVRAS-CHAVES:

Cationização, taninos condensados, tratamento de água, cajueiro.


PÁGINAS: 91
RESUMO:

O aumento populacional nas últimas décadas tem sido expressivo, afetando diretamente na qualidade de vida da população, gerando escassez na distribuição da água. A fim de amenizar os impactos causados pelos coagulantes químicos no abastecimento da água, estudos vêm sendo realizados no intuito de gerar alternativas para melhorias na distribuição da água, uma dessas alternativas é a aplicação de taninos vegetais. Objetivou-se avaliar o potencial dos taninos vegetais extraídos de espécies florestais (Mimosa caesalpiniifolia, Anacardium occidentale, Pityrocarpa Moniliformis e Anadenanthera colubrina) como agentes coagulantes no tratamento da água. Foram analisados o teor de taninos presentes nas cascas e frutos de árvores provenientes, em um plantio florestal, localizados em área experimental na Escola Agrícola de Jundiaí município de Macaíba-RN. Após as coletadas, as cascas e frutos foram secos ao ar, moídas e classificadas, utilizou-se a porção que passou por uma peneira de 16 “mesh” (1,00 mm) e ficou retida na de 60 “mesh” (0,25 mm). Para as extrações foram utilizadas três amostras com 25g de material seco. O extrato obtido foi passado em uma peneira de 150 “mesh” (0,105 mm), tecido de flanela, filtrado em funil de vidro e concentrado. Em seguida, foram determinados o teor de sólidos totais (TST), índice de Stiasny (I) e o teor de taninos condensados (TTC). Os taninos obtidos passaram por modificações químicas em sua estrutura, para posteriormente passarem pelo processo de tratamento da água, utilizando o equipamento jar-test. Foram utilizados três tipos de concentração 50mg/L1,100mg/L1 e 150 mg/L1, o pH e a turbidez foram medidas inicialmente a cada teste. Foi possível observar que A. occidentale apresentou uma melhor eficiência ao coagular, quando comparada com as demais espécies, com remoção da turbidez de 99% da água tratada. valor esse não encontrado na literatura com espécies florestais da Caatinga, sendo uma das pesquisas pioneiras no uso da casca do cajueiro para o tratamento da água. Quanto ao pH os taninos obtiveram ótimos resultados, pois não houve alteração significativa, sendo necessário realizar mais estudos que visem melhorar o desempenho dos taninos vegetais na clarificação da água.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2326526 - TATIANE KELLY BARBOSA DE AZEVEDO CARNAVAL
Interno - 1079298 - ALEXANDRE SANTOS PIMENTA
Interno - 049.881.764-44 - RAFAEL RODOLFO DE MELO - UFERSA
Externo à Instituição - PEDRO NICÓ DE MEDEIROS NETO - UFCG
Notícia cadastrada em: 19/06/2021 16:22
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa27-producao.info.ufrn.br.sigaa27-producao