Banca de QUALIFICAÇÃO: HELOISE ANDRIELLY NASCIMENTO COSTA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : HELOISE ANDRIELLY NASCIMENTO COSTA
DATA : 18/02/2017
HORA: 10:00
LOCAL: Sala B3 CB Setor IV
TÍTULO:

CARACTERIZAÇÃO FITOSSOCIOLOGICA DE UM FRAGMENTO DE FLORESTA ESTACIONAL DECIDUAL RELACIONADO AO GRADIENTE DE ALTITUDE EM MACAÍBA/RN.


PALAVRAS-CHAVES:

Fitossociologia; Província; Vegetação arbustiva e arbórea; Mata Atlântica.


PÁGINAS: 46
RESUMO:

A delimitação das florestas deciduais deve ser realizada incluindo vários aspectos, como solo, relevo e vegetação. No nordeste brasileiro, a floresta Estacional Decidual ocorre em zona de contato entre a Caatinga, o Cerrado e a Mata Atlântica, sendo faixas estreitas e transicionais. No RN ocorre uma versatilidade florestal entre esses ecossistemas.  A variação de altitude é um fator importante de mudanças de padrões vegetacionais, no entanto pouco estudada em florestas nacionais e locais. O estudo foi realizado em uma área de floresta decidual no município de Macaíba, esta foi dividida em 4 cotas com diferença de 19 m de altitude entre elas, foram coletados dados florísticos e fitossociologicos. Foi inventariado um total de  449 indivíduos distribuídos em  69 espécies, 49 gêneros e 36 famílias. Sendo a família mais representativa a Fabaceae com 9 espécies e 135 indivíduos, seguidas por Myrtaceae (10 espécies e 98 indivíduos), fabaceae-mimosoideae. As espécies Chamaecrista ensiformis (Vell.) H.S. Irwin & Barneby, Guapira laxa (Netto) Furlan e Zanthoxylum syncarpum Tul obtiveram os maiores índices  FR 50, 45 e 50  e  VI:  25,11%; 17,09% e 19,58%  respectivamente. Nenhuma espécie ocorreu ao longo de todo gradiente, havendo uma entrada e saída de táxons constante,  o score da DCA  foi de 0,851 e -6,8794, os indices de J’0,8432 , (C) 0,9533 E  H’3,532  ; a C2 apresentou os melhores valores para todos os índices analisados  evidenciando uma significante dissimilaridade na estrutura vegetacional, essas variações demostraram uma mudança fissionomica suave  na composição dessa floresta. Os remanescentes florestais  no RN, praticamente não tem sido estudados  tanto no ponto florístico, taxonômico e fitossociológico eesses estudos são fundamentais para estratégias de manejo e conservação de remanescentes florestais.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - LEONARDO BEZERRA DE MELO TINOCO - INSA
Interno - 2087827 - MALCON DO PRADO COSTA
Presidente - 1754958 - PAULO ROGERIO SOARES DE OLIVEIRA
Notícia cadastrada em: 08/02/2017 19:36
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa17-producao.info.ufrn.br.sigaa17-producao