Banca de DEFESA: LUAN HENRIQUE BARBOSA DE ARAUJO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LUAN HENRIQUE BARBOSA DE ARAUJO
DATA: 15/12/2015
HORA: 14:00
LOCAL: Sala da Pós Graduação em Ciência Florestal
TÍTULO:

AVALIAÇÃO DA COMPACTAÇÃO DO SOLO NO CRESCIMENTO INICIAL DE ESPÉCIES FLORESTAIS DA CAATINGA


PALAVRAS-CHAVES:

densidade do solo; manejo do solo; sistema radicular.


PÁGINAS: 43
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Recursos Florestais e Engenharia Florestal
SUBÁREA: Manejo Florestal
RESUMO:

Apesar da importância do estudo sobre raízes, pouco se sabe sobre os efeitos negativos da compactação do solo no desenvolvimento espécies florestais da Caatinga. Nesse sentido, objetivou-se avaliar o crescimento inicial de Mimosa caesalpiniifolia, Tabebuia caraiba e Erythina velutina, em solo submetido a variados níveis de compactação. O experimento foi conduzido em casa de vegetação localizada na Unidade Acadêmica Especializada em Ciências Agrárias da UFRN. Pra realização do experimento, foi utilizado Latossolo Amarelo de textura franco-arenosa, proveniente da área de experimentação florestal da Escola Agrícola de Jundiaí (EAJ) do município de Macaíba-RN, em unidade experimental composta por três anéis de PVC sobrepostos, de 10 cm de diâmetro e 25 cm de altura, sendo o anel central o que sofreu a compactação. O delineamento experimental utilizado foi o de blocos casualizados, com seis repetições, sendo testados quatro níveis de compactação do solo (1,35; 1,45; 1,60 e 1,80 kg.dm-³), avaliando-se as seguintes variáveis: diâmetro, altura, número de folhas, massa seca da parte aérea e do sistema radicular em cada camada dos vasos. No geral, as espécies M. caesalpiniifolia, T. caraiba e E. velutina tiveram o crescimento inicial favorecido pelo tratamento composto por solo não compactado. As espécies M. caesalpiniifolia e T. caraiba se mostraram relativamente resistente a compactação do solo, não sofrendo nenhuma redução significativa no crescimento radicular a densidade igual ou inferiores a 1,60 kg.dm-³, enquanto, E. velutina se mostrou susceptível aos efeitos da compactação do solo, apresentando alterações significativas no crescimento radicular sob densidades de solo igual ou superiores a 1,45 kg.dm-³. O aumento da compactação do solo provocou o impedimento da expansão da raiz pivotante no interior das unidades experimentais, promovendo o acúmulo de raízes nas camadas superiores do solo para as espécies estudadas. O impedimento físico em subsuperfície alterou o crescimento aéreo inicial das espécies M. caesalpiniifolia e E. velutina, porém não influenciou o crescimento aéreo das mudas de T. caraiba aos níveis de compactação testados.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1678080 - GUALTER GUENTHER COSTA DA SILVA
Externo ao Programa - 1841666 - ERMELINDA MARIA MOTA OLIVEIRA
Externo à Instituição - NEYTON DE OLIVEIRA MIRANDA - UFERSA
Notícia cadastrada em: 19/11/2015 14:39
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa22-producao.info.ufrn.br.sigaa22-producao