PPGCF/EAJ/UFRN PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS FLORESTAIS ESCOLA AGRÍCOLA DE JUNDIAÍ Telefone/Ramal: (84) 99418-0909 http://www.posgraduacao.ufrn.br/cfl

Banca de DEFESA: BRUNO GOMES DE NORONHA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: BRUNO GOMES DE NORONHA
DATA: 16/12/2014
HORA: 13:00
LOCAL: Auditorio do CVT, EAJ - UFRN
TÍTULO:

QUALIDADE FISIOLOGICA DE SEMENTES DE Moringa oleífera Lam. POR MEIO DA ANÁLISE DE IMAGENS


PALAVRAS-CHAVES:

Sementes. Vigor. Raio-X. Imagens. Qualidade.


PÁGINAS: 55
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Recursos Florestais e Engenharia Florestal
RESUMO:

Os principais testes que avaliam a qualidade de sementes são destrutivos e exigem tempo, o  que é considerado longo e caro na cadeia que envolve a produção e comercialização das sementes. Deste modo, técnicas que viabilizem a redução do tempo que se gasta para se avaliar a qualidade de lotes de sementes é muito favorável, do ponto de vista técnico, econômico e científico. A análise de imagens de sementes tanto por meio de raio-X como por imagens digitais representam alternativas para estes setores, além de serem reproduzíveis e rápidos, dando maior agilidade e autonomia às atividades dos sistemas de produção. O objetivo do trabalho foi analisar a morfologia interna de sementes desta espécie por meio de imagens radiografadas e a eficiência da determinação do incremento de área de sementes durante a embebição, por meio da análise de imagens e compará-los com os resultados dos testes de germinação e vigor na avaliação da qualidade fisiológica das sementes. Para os testes de raio-X, as sementes foram expostas por 0,14 segundos à radiação de 40kV e 2,0 mAs. As imagens obtidas foram analisadas utilizando o programa ImageJ e postas a germinar posteriormente em câmara do tipo BOD à 27ºC, no qual realizou-se a comparação dos resultados obtidos nos testes de germinação. Para a determinação do teste de incremento de área (I.A%), foram utilizadas sementes com e sem tegumento, mantidas em câmara do tipo BOD a 15° e 20°C, as sementes foram fotografadas antes e após o período de embebição, os resultados foram comparados com os testes de germinação e vigor. Para o teste de raio-X, observou-se que sementes com área vazia superior a 20%, apresentaram maior percentual de plântulas anormais. E a análise de incremento de área, evidenciou que é possível ranquear os lotes de sementes após 8 horas de embebição a 15°C de acordo com os testes de germinação e vigor.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1880265 - MARCIO DIAS PEREIRA
Interno - 914.897.250-91 - CIBELE DOS SANTOS FERRARI - UFRN
Externo ao Programa - 1575330 - CASSIA REGINA DE ALMEIDA MORAES
Externo à Instituição - HAMILTON GURGEL GUERRA - EMPARN
Notícia cadastrada em: 14/12/2014 08:12
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa25-producao.info.ufrn.br.sigaa25-producao