Banca de DEFESA: VIRGINIA CLAUDIA DE LIMA MENEZES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: VIRGINIA CLAUDIA DE LIMA MENEZES
DATA: 19/12/2014
HORA: 09:00
LOCAL: Sala da Pós-Graduação em Ciências Florestais
TÍTULO:

CRESCIMENTO INICIAL E MORFOLOGIA FOLIAR EM PLANTAS DE Mimosa caesalpiniaefolia Benth. EM FUNÇÃO DO MANEJO MICROBIANO, SOB ESTRESSE SALINO


PALAVRAS-CHAVES:

Matéria orgânica, micorriza, sabiá (Mimosa caesalpiniaefolia)


PÁGINAS: 40
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Recursos Florestais e Engenharia Florestal
RESUMO:

 

O sabiá (Mimosa caesalpiniaefolia Benth.) é uma espécie endêmica do bioma Caatinga, sendo considerada tolerante aos estresses salino e hídrico. O processo de salinização dos solos e das águas subterrâneas e superficiais é um dos mais importantes problemas de degradação ambiental, com seus efeitos prejudiciais sendo mais pronunciados nas áreas de regiões áridas e semiáridas, e que vem crescendo rapidamente em diversas partes do globo, causando problemas de grandes proporções na produtividade das culturas agrícolas. Condicionadores orgânicos como esterco de curral e casca de arroz podem contribuir para redução da PST, possivelmente em virtude da liberação de CO2 e produção de ácidos orgânicos, durante a decomposição da matéria orgânica, além de atuarem como fontes de cálcio e magnésio e inibirem a disponibilidade do sódio. A associação íntima e benéfica das micorrizas com as plantas resulta no aumento da absorção de água e nutrientes pelos vegetais, principalmente o fósforo, devido sua baixa mobilidade no solo. O objetivo deste trabalho foi a avaliação do crescimento inicial de mudas de sabiá sob inoculação com fungos micorrízicos arbusculares, adubadas com esterco de curral e irrigadas com água de diferentes níveis de salinidade. O experimento foi instalado em condições de casa de vegetação nas dependências da Escola Agrícola de Jundiaí - UFRN, Campus Macaíba. O delineamento estatístico adotado foi o inteiramente casualizado composto de doze tratamentos – três substratos (solo estéril, esterco e FMA), quatro níveis de salinidade (0,2; 1,5; 3,0 e 4,5 dSm-1) e cinco repetições, totalizando sessenta unidades experimentais. Os resultados indicam que a inoculação de fungos micorrízicos possui contribuições para o crescimento das plantas, sobretudo em raízes e parte aérea, o que sugere que sua aplicação seja  benéfica no estabelecimento de plantas de sabiá em condições naturais, com solo pobre em P. Os níveis de salinidade não causaram efeitos com relevância estatística no desenvolvimento das plantas, indicando a resistência do Sabiá à mesma.



MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ANTONIO EVAMI CAVALCANTE SOUSA - IFGoiano
Interno - 1715697 - FABIO DE ALMEIDA VIEIRA
Presidente - 1605704 - SIDNEY CARLOS PRAXEDES
Notícia cadastrada em: 02/12/2014 09:24
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa07-producao.info.ufrn.br.sigaa07-producao