PPGCF/EAJ/UFRN PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS FLORESTAIS ESCOLA AGRÍCOLA DE JUNDIAÍ Telefone/Ramal: (84) 99418-0909 http://www.posgraduacao.ufrn.br/cfl

Banca de QUALIFICAÇÃO: JOSE DENILSON DE PAULA ARAUJO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JOSE DENILSON DE PAULA ARAUJO
DATA: 20/10/2014
HORA: 08:00
LOCAL: Prédio das Pós-Graduações/Sala 02
TÍTULO:

Sinergia dos estresses hídrico e térmico sobre a Jatropha curcas L.


PALAVRAS-CHAVES:

Déficit hídrico; pinhão manso; solutos orgânicos.


PÁGINAS: 14
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Recursos Florestais e Engenharia Florestal
SUBÁREA: Silvicultura
ESPECIALIDADE: Fisiologia Florestal
RESUMO:

A Jatropha curcas L. tem sido indicada como espécie potencial para produção de biocombustíveis no semiárido, apontada pela literatura como resistente em condições desfavoráveis: seca e salinidade. Todavia, pouco é descrito sobre sua resistência a altas temperaturas e secas severas, principalmente sobre a sinergia de estresses combinados, cenário típico de regiões semiáridas. Este trabalho visa avaliar os efeitos da temperatura sobre a J. curcas em condições de seca. O estresse hídrico foi aplicado utilizando duas concentrações de PEG6000 diluídas em solução hidropônica, induzindo potencial hídrico de -0,3 e -0,7 MPa. Já o estresse térmico foi conduzido em B.O.D. à 40ºC. Após aplicação dos estresses, o material vegetal foi coletado para avaliação dos indicadores de estresse conteúdo relativo de água (CRA) e dano de membrana (DM), além das determinações bioquímicas de proteínas, aminoácidos totais (AALT), prolina (PRO) e glicina betaína (GLIC). Os resultados mostraram que o CRA pouco se altera, em condições de estresse e DM foi menor sob 40ºC. Os solutos orgânicos AALT e PRO, tiveram respostas mais significativas em folhas, enquanto que proteínas e GLIC foram mais significativas nas raízes. Quanto à observação da sinergia dos estresses, este trabalho fez comparações a resultados semelhantes obtidos em outros estudos, reforçando afirmações sobre a eficiência das respostas da J. curcas em condições de seca, observando que de alguma forma, a temperatura pode ativar outros mecanismos que auxiliem na resposta contra seca.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2294466 - CRISTIANE ELIZABETH COSTA DE MACEDO
Interno - 1605704 - SIDNEY CARLOS PRAXEDES
Notícia cadastrada em: 10/10/2014 14:56
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa20-producao.info.ufrn.br.sigaa20-producao