Banca de DEFESA: GUSTAVO GOMES TORRES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : GUSTAVO GOMES TORRES
DATA : 08/11/2022
HORA: 09:00
LOCAL: Remoto
TÍTULO:

ESTIMULAÇÃO CARDÍACA ARTIFICIAL: PERFIL EPIDEMIOLÓGICO EM HOSPITAL PÚBLICO DE REFERÊNCIA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE


PALAVRAS-CHAVES:

Análise Espacial. Estimulação Cardíaca Artificial. Acesso aos Serviços de Saúde. Sistema Único de Saúde. Análise Espaço-temporal.


PÁGINAS: 39
RESUMO:

A Estimulação Cardíaca Artificial é uma ferramenta importante no tratamento de alterações do ritmo cardíaco, bem como de melhora da função ventricular em portadores de Insuficiência Cardíaca. O presente estudo tem o objetivo de analisar o perfil clínico e epidemiológico dos pacientes submetidos à procedimentos de Estimulação Cardíaca Artificial em um Serviço de referência para o sistema único de saúde (SUS), bem como avaliar a distribuição espacial dos pacientes do estado do Rio Grande do norte (RN) quanto à procedência e analisar a evolução temporal do número de procedimentos no serviço. Realizamos um estudo observacional analítico, com dados obtidos por fonte primária, dos pacientes submetidos à procedimentos de Estimulação Cardíaca Artificial no Hospital Onofre Lopes (HUOL), da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), entre os anos de 2006 e 2021. De um total de 885 pacientes analisados, 533 (60,2%) foram do sexo masculino, com idade média de 65,5 anos. Bloqueio Átrio Ventricular (BAV) de 3¤ grau foi a indicação do procedimento em 165 pacientes (20,5%). Apenas 55 pacientes (5,5%) necessitaram de suporte de marcapasso temporário. 141 pacientes tiveram etiologia isquêmica (24,8%) e 298 pacientes relataram dispneia como queixa principal (33,7%), 41,8% dos pacientes são hipertensos, 11,9% diabéticos, 19,4% dislipidêmicos e 19,5% tabagistas ou ex-tabagistas. A população estudada teve Fração de Ejeção do ventrículo esquerdo (VE) média de 33,6%. Níveis médios de creatinina de 1,04 mg/mL e potássio 4,19mg/mL pré-procedimento. Observamos uma homogeneidade em relação ao encaminhamento de pacientes do SUS ao serviço, independente do município de origem. A análise temporal identificou um aumento de 1,1% ao ano no número de procedimentos, sendo este relacionado ao incremento de procedimentos em pacientes do sexo masculino. Concluímos que as caraterísticas do serviço contribuíram para as diferenças de nossa população em relação aos achados da literatura. Apesar da ausência de um fluxograma determinado, o acesso ao serviço ocorreu sem a presença de aglomerados em relação ao município de origem. O aumento temporal dos procedimentos foi discreto, em que pesem interrupções parciais da estrutura e a presença da pandemia neste período.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1149540 - ANGELO GIUSEPPE RONCALLI DA COSTA OLIVEIRA
Interna - 421717 - MARIA ANGELA FERNANDES FERREIRA
Externa à Instituição - SIMONE MARIA MUNIZ DA SILVA BEZERRA - UPE
Notícia cadastrada em: 24/10/2022 17:01
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa22-producao.info.ufrn.br.sigaa22-producao