Banca de DEFESA: JULIANA APARECIDA SOUZA LEROY

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JULIANA APARECIDA SOUZA LEROY
DATA : 31/08/2022
HORA: 14:00
LOCAL: https://meet.google.com/svo-mybf-hst
TÍTULO:

FUNGOS MICORRÍZICOS ARBUSCULARES ASSOCIADOS À MACRÓFITAS AQUÁTICAS EM RIOS TROPICAIS NO BRASIL


PALAVRAS-CHAVES:

Plantas aquáticas. Micorriza. Macroalgas. Ecossistemas lóticos. Diversidade.


PÁGINAS: 140
RESUMO:

Estudos sobre a relação simbiótica entre fungos micorrízicos arbusculares (FMA) associados à raízes de macrófitas aquáticas são recentes, onde a diversidade e papel ecológico destes fungos em áreas úmidas permanece pouco compreendida. A maioria dos trabalhos concentra-se no ambiente terrestre, criando uma lacuna no entendimento do papel dos FMA, principalmente em hospedeiros cuja raízes estão constantemente submersas. Neste estudo, avaliou-se a presença de colonização micorrízica em raízes de macrófitas submersas e flutuantes, analisando também o sedimento da rizosfera dos hospedeiros, incluindo um esforço amostral para as macroalgas do gênero Chara, em ambientes lóticos tropicais. Dessa forma, o estudo foi dividido em duas etapas. A primeira etapa foi avaliar a presença de FMA em macroalgas do gênero Chara. Para isso, foi investigada a presença de colonização em rizoides das algas em cinco ambientes lóticos diferentes no Brasil, avaliando também a presença de esporos na rizosfera hospedeiros. Vinte e cinco espécies foram encontradas na rizosfera de Chara sp., pertencentes principalmente às famílias Acaulosporaceae (11) e Glomeraceae (8). Os rios apresentaram baixa riqueza de espécies com Rio do Gozo (16), em seguida pelo Uma (8), Pratinha (2), Cuitegí (2) e Pandeiros (1). Apesar da ocorrência de esporos de FMA no sedimento aquático, não há colonização micorrízica em rizoides de Chara sp. para as condições de campo analisadas. Na segunda etapa, foram investigadas a colonização por FMA em 61 macrófitas aquáticas dos tipos biológicos submersa fixa, flutuante fixa e flutuante livre, que estão em contato permanente com a água, em nove rios no estado do Rio Grande do Norte, além de analisar o sedimento da rizosfera. Dos hospedeiros investigados (61), 15 espécies apresentaram colonização por FMA (24,5%). As macrófitas estudadas dos Rios Trairí, Doce, Brandão e Piranhas não mostraram colonização por FMA, já os Rios Catu, Pitimbú e Pium tiveram colonização por FMA superior a 50%. Foi reportada a colonização por FMA pela primeira vez em 6 das 15 macrófitas colonizadas. As espécies que apresentaram maior taxa de colonização foram Nymphoides humboldtiana (92%) e Bacopa aquatica (75%). Com relação à colonização por forma de vida, as espécies de macrófitas submersas estudadas apresentaram 52% de colonização por FMA, enquanto as flutuantes fixas 18% e as flutuantes livres apenas 8%. Um total de 43 espécies foram recuperadas dos sedimentos aquáticos dos nove rios do RN, onde as famílias mais representativas foram Glomeraceae (33,3%) e Acaulosporaceae (31%). O maior número de espécies foi recuperado do Rio Pium (17), seguido por Piranha (14) e Catu (12). Com relação à comparação entre as comunidades de FMA e os rios sugere que as comunidades de FMA dos rios Pium e Piranha são mais similares, assim como as comunidades dos rios Doce e Trairi e dos rios e rios Catu e Boa Cica. A composição das comunidades de FMA não diferiu quando testada em relação aos tipos biológicos dos hospedeiros e interação entre hábitos e rios. A riqueza de espécies de FMA foi maior em macrófitas flutuantes fixas (29), seguido por submersa fixa (28) e flutuantes livre (11). A maior diversidade de espécies de FMA foi observada no sedimento da rizosfera das macrófitas flutuantes fixas, apesar da baixa taxa de colonização. Os resultados deste estudo confirmam a presença de colonização por FMA em macrófitas aquáticas vasculares e a ausência em macroalgas (Chara) em ambientes lóticos, onde o sedimento aquático abriga uma riqueza notável que merece mais atenção. Estudos adicionais são fundamentais para entender melhor o papel dos FMA em ambientes aquáticos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1755051 - BRUNO TOMIO GOTO
Externa à Instituição - CAMILA PINHEIRO NOBRE - UEMA
Externo à Instituição - FRANCISCO ADRIANO DE SOUZA - EMBRAPA
Interna - ***.390.185-** - PATRICIA OLIVEIRA FIUZA - UFRN
Interno - ***.924.744-** - RHUDSON HENRIQUE SANTOS FERREIRA DA CRUZ - UFOB
Notícia cadastrada em: 16/08/2022 15:51
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa06-producao.info.ufrn.br.sigaa06-producao