Banca de DEFESA: ARTHUR DE SOUZA SOARES

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ARTHUR DE SOUZA SOARES
DATA : 29/07/2022
HORA: 08:00
LOCAL: Google Meet: meet.google.com/xmr-mikx-gjx
TÍTULO:

Filogenia molecular, revisão taxonômica e padrões de distribuição em Oocephalus (Hyptidinae: Lamiaceae), um gênero quase endêmico dos campos rupestres brasileiros


PALAVRAS-CHAVES:

Angiosperms353; Avaliação de risco; Hyptis; Neotrópico; Taxonomia


PÁGINAS: 253
RESUMO:

O gênero Oocephalus pertence à subtribo Hyptidinae, família Lamiaceae, e atualmente é constituído por 22 espécies, sendo 21 delas endêmicas dos campos rupestres brasileiros. As espécies do gênero podem ser reconhecidas por apresentarem hábito arbustivo ou subarbustivo, aromáticos, inflorescência tirsóide, curta ou alongada, composta por cimeiras pedunculadas ou sésseis, formando cimeiras composta por um dicásio simples ou composto (ou reduzida a uma única flor), ovoide e comumente envelopado por um involucro de bractéolas, cálice tubular ou infundibuliforme, lobos deltados, ensiformes, lanceolados ou subulados, sinus entre os lobos obdeltados, corola com tubo alongado e lobos curtos, estes nunca marcados com pontos ou linhas. Nesta tese são apresentadas uma filogenia nuclear de Oocephalus utilizando o Sequenciamento de Nova Geração (NGS), usando o kit Angiosperms353; uma revisão taxonômica do gênero, com descrições morfológicas, comentários taxonômicos e ecológicos sobre as espécies; e uma análise dos padrões de distribuição das espécies, identificando áreas com maior riqueza e taxa de endemismo, além de avaliar o estado de conservação das espécies. As análises filogenéticas recuperaram o gênero como monofilético, com espécies agrupadas em quatro clados distintos. A revisão taxonômica reconhece 24 espécies de Oocephalus e as classifica em quatro seções, previamente reconhecidas como clados nas análises filogenéticas. As análises também mostraram que as espécies de Oocephalus possuem quatro padrões distintos de distribuição e apresentam alto risco de extinção, com 22 das 24 espécies sendo classificadas em algum grau de ameaçada. Os resultados dessa tese mostram que Oocephalus pode ser usado como modelo para testar hipóteses sobre diversificação e evolução nos campos rupestres, por se tratar de um gênero quase que totalmente endêmico destas áreas e, também, uma importante ferramenta para auxiliar nas políticas de conservação dos campos rupestres.


MEMBROS DA BANCA:
Externa à Instituição - JULIANA GASTALDELLO RANDO - UFOB
Externo à Instituição - GUILHERME DE MEDEIROS ANTAR - UFES
Externo à Instituição - JEFFERSON GUEDES DE CARVALHO SOBRINHO - UNIVASF
Presidente - ***.563.875-** - JOMAR GOMES JARDIM - UFSB
Externo à Instituição - MARCELO TROVÓ LOPES DE OLIVEIRA - UFRJ
Notícia cadastrada em: 11/07/2022 11:17
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa27-producao.info.ufrn.br.sigaa27-producao