Banca de QUALIFICAÇÃO: ERICKA WANNESCKA DOS SANTOS

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ERICKA WANNESCKA DOS SANTOS
DATA : 25/06/2021
HORA: 09:00
LOCAL: Realizado por videoconferência
TÍTULO:

Redução cariotípica na família Apogonidae (Kurtiformes): papel dos padrões cromossômicos e biológicos do grupo


PALAVRAS-CHAVES:

Evolução cariotípica; Fusão in tandem; rearranjos cromossômicos, DNA repetitivos, sequências teloméricas.


PÁGINAS: 68
RESUMO:

A família Apogonidae (Kurtiformes), conhecida como cardeais, representa um grupo muito diverso de peixes recifais, presente em todos os oceanos. Algumas de suas espécies exibem o raro comportamento de incubação bucal dos ovos, o que pode influenciar no potencial de dispersão das espécies. Este grupo possui cariótipos com valores diploides reduzidos (2n=34-46), mas dados citogenéticos para a família ainda são escassos. Nesse sentido, a ampliação dos dados cromossômicos para a família, envolvendo representantes de diferentes oceanos, representa um modelo evolutivo relevante de evolução cariotípica. Com vista a compreender a evolução cariotípica da família, aqui são apresentados dados citogenéticos que expandem o espectro filogenético, e permitem analisá-los quanto ao potencial dispersivo das espécies e da organização das sequências repetitivas nos cromossomos. Para isso, foram empregadas técnicas citogenéticas convencionais (coloração Giemsa, Ag-RONs e bandamento C); mapeamento in situ fluorescente (FISH) de seis classes de DNA repetitivo (DNAr 18S, DNAr 5S; retrotransposon Rex3; Microssatélites (CA)15 e (CGG)10 e sequência telomérica), nas espécies Apogon americanus, Phaeoptyx pigmentaria (Oceano Atlântico), Sphaeramia nematoptera e Pterapogon kauderni (Indo-Pacífico). Os números diploides se mostraram reduzidos (2n=36, A. americanus; 2n=38, P. pigmentaria; e 2n=46, S. nematoptera e P. kauderni), sobretudo nas espécies do Atlântico. As regiões heterocromáticas são reduzidas e as regiões Ag-RONs/DNAr 18S são simples e aparentemente localizadas em um par cromossômico homeólogo (maior par submetacêntrico). Os sítios DNAr 18S e 5S se mostram não sintênicos nas espécies do Pacífico e co-localizados em um mesmo par cromossômico nas espécies do Atlântico. As duas sequências microssatélites, bem como Rex3, estão dispersas nos cromossomos. As sequências teloméricas exibiram sítios teloméricos intersticiais (ITS) em A. americanus, indicando uma redução cariotípica mediada pelo mecanismo de fusão in tandem com participação ativa de inversões pericêntricas. A diversidade cariotípica da família, contrasta com o conservadorismo numérico de outros grupos de peixes recifais, sugerindo uma possível relação com fatores biológicos (incubação bucal de ovos), que reduzem o potencial dispersivo e favorecem a diferenciação cariotípica do grupo. As características cariotípicas de Apogonidae amplia o entendimento sobre como fatores biológicos e ambientais (fatores extrínsecos) contribuem como gatilhos para a elevada taxa de diferenciação cromossômica (fatores intrínsecos) em alguns grupos de peixes marinhos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1199139 - WAGNER FRANCO MOLINA
Externo à Instituição - GIDEÃO WAGNER WERNECK FELIX DA COSTA
Externa à Instituição - KARLLA DANIELLE JORGE AMORIM
Notícia cadastrada em: 10/06/2021 13:24
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa06-producao.info.ufrn.br.sigaa06-producao