Banca de QUALIFICAÇÃO: FRANCISCO DEMETRIUS MONTEIRO RODRIGUES

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : FRANCISCO DEMETRIUS MONTEIRO RODRIGUES
DATA : 17/12/2020
HORA: 14:00
LOCAL: VIDEOCONFERÊNCIA VIA PPGDEM/UFRN
TÍTULO:

MIGRANTES NORDESTINOS: RELAÇÕES ENTRE MIGRAÇÃO, MOBILIDADE SOCIAL E GÊNERO


PALAVRAS-CHAVES:

Migração; Mobilidade social.; Diferenciais de gênero; Nordeste; Interseccionalidade


PÁGINAS: 45
RESUMO:

Migrar, historicamente, é uma decisão geralmente motivada pela busca por sobrevivência ou melhores condições de vida e praticada com maior frequência por homens, principais ocupantes do mercado de trabalho.  No Brasil, ao longo de décadas, principalmente nas décadas de 1960 e 1970, os nordestinos foram os que mais deixaram sua terra natal, com a pespectiva de uma vida melhor. Com as mudanças no cenário econômico, político e social das regiões de origem e destino, bem como com os avanços técnologicos na comunicação,  a decisão de migrar passou a ser subsdiada por diversos outros fatores, para além das dificuldades de sobrevivência ou mobilidade social na região de origem. E a maior insersão da mulher no mercado de trabalho vem aumentando sua participação entre os migrantes, mas o sucesso  na região destino depende, em grande parte, das possiblidades de empregos geradas, as quais se difereciam por gênero e raça. Neste contexto, o objetivo desta dissertação é analisar, para o ano de 2014,  se ainda vale a pena migrar para os nordestinos. E, considerando apenas os migrantes, verificar se a mobilidade social ascendente difere por tipo de migração (inter ou intraregional),  gênero,  raça e suas interseccionalidades. Os dados serão extraídos da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios de 2014, que possui um módulo especial de perguntas sobre mobilidade social, além das características sociodemográficas e migração. O modelo logístico será utilzado para identificar se ser migrante para o nordestino aumenta as chances de mobilidade social ascendente intrageracional em relação aos não migrantes, controlondo a análise por carateríticas sociodemográficas, ou seja, vai permitir verificar se ainda vale a a pena migrar para os nodestinos. E o efeito de gênero, raça e a intersação gênero e raça no sucesso do migrante também será aferido por meio do modelo logístico, mas a variável resposta será a moblidade social ascendente apenas dos migrantes. Epera-se que os resultados deste estudo possam contribuir para o debate contemporâneo sobre a migração dos nordestinos,  considerando a pespectiva interseccional de gênero e raça.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1422122 - JÁRVIS CAMPOS
Presidente - 1715284 - LUANA JUNQUEIRA DIAS MYRRHA
Externa à Instituição - ROBERTA GUIMARÃES PERES - UFABC
Notícia cadastrada em: 04/12/2020 09:43
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa10-producao.info.ufrn.br.sigaa10-producao