Banca de QUALIFICAÇÃO: PAULA GABRIELA FERNANDES AGOSTINHO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : PAULA GABRIELA FERNANDES AGOSTINHO
DATA : 29/05/2019
HORA: 08:30
LOCAL: AUDITORIO CCET
TÍTULO:

REGISTRO CLIMÁTICO EM SIDERASTREA STELLATA SP. DO ATOL DAS ROCAS, RN, BRASIL


PALAVRAS-CHAVES:

TSM; Isótopos Estáveis; Esclerocronologia; Interação Oceano-atmosfera.


PÁGINAS: 65
RESUMO:

O registro histórico dos eventos climáticos no Brasil é relativamente curto, raramente ultrapassando 100 anos de duração, principalmente com relação aos dados provenientes de regiões oceânicas. A excassez de registros dificulta uma melhor compreensão dos padrões de oscilações climáticas existentes. Como alternativa para melhor entender o comportamento e a variabilidade do sistema climático pode-se recorrer aos registros pré-instrumentais (sedimentares, biológicos e biogeoquímicos). Os corais são organismos que ao longo do seu crescimento registram em seu esqueleto carbonático informações sobre o ambiente o qual se desenvolveram. Nesse contexto, este trabalho pretende verificar a relação da variabilidade de eventos climáticos e condições ambientais pretéritas na água dos oceanos registrados durante o desenvolvimento de uma colônia de coral endêmica brasileira Siderastrea stellata sp. Uma amostra dessa espécie foi coletada no Atol das Rocas em 2013 permitindo a realização de análises geoquímicas com marcadores isotópicos (δ18O, δ13C e Sr/Ca) que relacionam-se diretamente com a temperatura da água do mar. Esses marcadores serão utilizados como proxies para reconstrução da temperatura da superfície do mar (TSM) do Atol das Rocas durante o período de crescimento da colônia (56 anos). Através da análise de alguns índices oceânico-atmosféricos locais e remotos (Zona de Convergência Intertropical, El Niño/La Niña, e Dipolo do Atlântico) espera-se verificar alterações nos registros geoqúimicos no coral, revelando sua capacidade para registrar variabilidade climática. Como um dos objetivos deste trabalho, pretende-se reconstruir as variações da TSM através dos registros geoquímicos de Siderastrea stellata sp. Nesse processo será utilizada uma base de dados de satelital para temperatura a fim de estabelecer uma regressão linear com os dados geoquímicos como também a validação do modelo proposto. A datação geoquímica da colônia foi realizada utilizando um método de alta precisão de datação (230U-Th). Serão realizadas análises de séries temporais para comparação da variabilidade climática histórica e a observada nos corais. Também serão investigadas possíveis tendência nos dados correlacionadas com os aumentos de temperatura observados nas últimas décadas (Teste Mann-Kendall). Esperasse que os resultados obtidos neste projeto permitam correlacionar a taxa de crescimento dessa espécie e seus registros geoquímicos com eventos climáticos recentes, a fim de contribuir na formação de um banco de dados climáticos que possibilite entender melhor os ambientes insulares tropicais e sua variabilidade.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1858120 - DAVID MENDES
Interno - 1164414 - WEBER ANDRADE GONCALVES
Externo ao Programa - 2276514 - MARCIO MACHADO CINTRA
Externo à Instituição - NATAN SILVA PEREIRA - UNEB
Notícia cadastrada em: 16/05/2019 17:00
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2019 - UFRN - sigaa09-producao.info.ufrn.br.sigaa09-producao