Banca de QUALIFICAÇÃO: YASMIM CRISTINA LEIROS MEIRA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : YASMIM CRISTINA LEIROS MEIRA
DATA : 20/05/2019
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório do CCET
TÍTULO:

RESPOSTA HIDROLÓGICA DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PIANCÓ AS MUDANÇAS CLIMÁTICAS


PALAVRAS-CHAVES:

Modelagem hidrológica, Mudança Climática, SWAT, Semiárido, Recursos Hídricos.


PÁGINAS: 40
RESUMO:

A mudança climática é um tema cada vez mais presente com interferência em diversos setores da sociedade, em especial o setor hídrico. À medida que os recursos hídricos ganham mais ênfase devido à crescente demanda pelo uso da água, torna-se crucial compreender o efeito da mudança climática nos componentes do ciclo hidrológico em escala de bacia hidrográfica paraa gestão dos recursos hídricos. Dessa forma, o objetivo desta proposta de pesquisa é avaliar o padrão da resposta hidrológica da bacia hidrográfica do rio Piancó em um clima de um futuro próximo (2021-2040). Essa é uma sub-bacia da bacia hidrográfica do rio Piancó-Piranhas-Açu, completamente inserida no semiárido brasileiro, cujas nascentes estão no estado da Paraíba. A resposta hidrológica será avaliada a partir de simulações com o modelo hidrológico distribuído Soil and Water Assessement Tool (SWAT). As simulações hidrológicas serão realizadas para três condições hidroclimáticas: a primeira para o clima presente (1982-2005) e as outras duas para o clima em um futuro próximo (2021-2040) em dois cenários de concentração de CO2 e forçamento radiativo representativo: RCP 4.5 e RCP 8.5.  Os dados utilizados para realização das simulações hidrológicas para o clima presente serão da Agência Executiva de Gestão de Águas do Estado da Paraíba (AESA) e de uma base de dados de estações de superfície, regularmente dispostas no espaço com resolução de ~ 25 km. Os dados das projeções climáticas utilizadas para simulações hidrológicas para o clima futuro serão dos modelos do Coupled Model Intercomparison Project Phase 5 (CMIP5), regionalizadas para uma resolução de ~ 25 km para precipitação e temperatura. A análise da destreza do SWAT será realizada com uso de hidrogramas, curva de permanência, gráfico de dispersão e índices estatísticos amplamente aplicados em estudos hidrológicos. Etapas iniciais já foram desenvolvidas, tais como: a avaliação da hidroclimatologia observada, e modelagem hidrológica em específico no que diz respeito à fase de geoprocessamento para delimitação da bacia hidrográfica e da rede de drenagem, bem como a implementação no SWAT das classes de solo encontradas na bacia e os seus tipos de cobertura da terra, conforme as classes encontradas no modelo.  Os resultados iniciais indicam que o ano hidrológico da bacia tem início em janeiro, sendo abril o mês que ocorre o pico de vazão (~ 50 m³.s-1), ao passo que os meses de jul-dez a vazão é intermitente (~ nula). Com respeito às características físicas da bacia, obtidas na fase de geoprocessamento, essas indicam que os solos e a cobertura vegetal dominantes na bacia, respectivamente, são os neossolos (57% da área) e a caatinga (79% da área), que foi representada preliminarmente no SWAT como floresta decídua. Com o desenvolvimento da pesquisa, espera-se analisar os impactos na escala de bacia hidrográfica sobre os processos hidrológicos e disponibilidade hídrica em uma condição de mudança climática no semiárido do Brasil.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2411669 - JONATHAN MOTA DA SILVA
Interna - 1914304 - KELLEN CARLA LIMA
Externa ao Programa - 1759777 - ADELENA GONCALVES MAIA
Externa à Instituição - SANDRA ISAY SAAD - UFCG
Notícia cadastrada em: 16/05/2019 09:18
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2019 - UFRN - sigaa08-producao.info.ufrn.br.sigaa08-producao