Banca de QUALIFICAÇÃO: MAURICIO TOLSTOI DOS SANTOS FERREIRA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : MAURICIO TOLSTOI DOS SANTOS FERREIRA
DATA : 13/12/2018
HORA: 09:00
LOCAL: Anfiteatro A do CCET
TÍTULO:

MAPEAMENTO E AVALIAÇÃO DO GRAU DE RISCO DE
INUNDAÇÃO EM ÁREAS URBANAS DOS MUNICÍPIOS DE PENDÊNCIAS E ALTO DO RODRIGUES NO RN


PALAVRAS-CHAVES:

Mapeamento. Dados Sociais. Risco de Inundação. Vulnerabilidade.


PÁGINAS: 34
RESUMO:

A cidade constitui um ambiente de interesses e ideais, onde os mesmos podem gerar divergências, que por sua vez desenham os conflitos sociais. No que tange a esse tema, uma questão que se sobressai com bastante frequência é o uso e ocupação do solo e como o mesmo tem sido apropriado de forma desigual pela iniciativa privada. Nesse contexto a população de baixa renda se sente forçada a morar nas “margens das cidades”, em locais por muitas vezes inadequados como: encostas, morros ou margens de rios e até insalubres de saúde, com a inexistência de saneamento básico,  esgotamento a céu aberto e, falta de coleta de resíduos domésticos, dentre muitos outros fatores. Nesse sentido, é proposto neste projeto, o mapeamento de duas áreas urbanas no Rio Grande do Norte – (RN), realizado a partir de um Veículo Aéreo Não Tripulado (VANT), O intuito de identificar à área de inundação recorrente de ambas as áreas urbanas. Para isso, contudo, as cidades a serem escolhidas foram Pendências e Alto do Rodrigues, que são entrecortadas pelo rio Piranhas Açu, e estão localizadas a jusante da barragem Armando Ribeiro Gonçalves, tendo esses municípios, um histórico de fenômenos dessa natureza (CEPED, 2011; NEVES et al, 2016, 2017). Serão utilizados como unidade territorial os setores censitários definidos pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - (IBGE), e de posse das manchas de cheias, o próximo passo será a sobreposição dos dados sociais com o intuito de encontrar os setores mais vulneráveis perante aos eventos críticos das cheias do rio Piranhas Açu no RN. O escopo desse estudo visa trabalhar a luz conceitual e geossistêmica, no qual se encontra amparado no uso de recursos modelísticos para se explicar a realidade. Para essa perspectiva em questão tomaremos por base a metodologia utilizada por Brito (2017), a qual basicamente está pautada na configuração de um índice a partir de dados sociais obtidos pelo IBGE, a serem trabalhados por meio de pesos e uma média ponderada das variáveis. Com isso identificaremos o Risco de Inundação com a delimitação de áreas com determinada vulnerabilidade relacionada ao meio social e o perigo, que nesse caso será a própria cheia do rio. Espera-se que o trabalho possa contribuir com informações para o fortalecimento do plano diretor dessas cidades, podendo até servir de base para o reordenamento urbano destas, haja vista o refinamento cartográfico que os dados contêm.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 320597 - PAULO SERGIO LUCIO
Interno - 1752417 - CLAUDIO MOISES SANTOS E SILVA
Externo ao Programa - 2190974 - JOANA DARC FREIRE DE MEDEIROS
Externo ao Programa - 761.784.204-04 - JOSEMIR ARAÚJO NEVES - EMPARN
Notícia cadastrada em: 11/12/2018 15:58
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2019 - UFRN - sigaa14-producao.info.ufrn.br.sigaa14-producao