Banca de QUALIFICAÇÃO: MARCELE DE JESUS CORREA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : MARCELE DE JESUS CORREA
DATA : 10/10/2018
HORA: 08:30
LOCAL: SALA 4, ECT
TÍTULO:

TENDÊNCIA DE TEMPERATURA DO AR NA REGIÃO METROPOLITANA DE FORTALEZA – CEARÁ 


PALAVRAS-CHAVES:

Clima urbano. Efeito de urbanização. Regressão Múltipla. Método dos Mínimos Quadrados. Teste Mann-Kendall. Algoritmo SEBAL.

 


PÁGINAS: 105
RESUMO:

De acordo com a Organização das Nações Unidas, a população mundial foi estimada em 2017 em 7,6 bilhões de habitantes. Para o Brasil, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, a estimativa foi mais de 206,660 milhões. A Região Metropolitana de Fortaleza, no estado do Ceará, foi estimada acima de 4,051 milhões de habitantes, sendo que Fortaleza apresenta uma população superior a 2,6 milhões de habitantes. Em função da urbanização, o modo como se dá o processo de uso e ocupação do solo propicia a formação de um clima próprio. Assim, a maior parte da população humana tem vivido e realizado suas atividades influenciadas pelo clima urbano. Desta forma, o aumento da população urbana tem gerado anseios quanto ao estudo de alterações do clima em escala local e regional, na tentativa de compreender a relação entre as atividades antropogênicas e possíveis alterações no clima. Diante disso, o objetivo da presente pesquisa é investigar fatores contribuintes, tais como, processos de mudança no uso e ocupação do solo para possível existência de tendência de temperatura na Região Metropolitana de FortalezaCE. Para tanto, primeiro, serão utilizados os dados observados de temperatura máxima e mínima referentes a três estações meteorológicas do Instituto Nacional de Meteorologia para os municípios de Fortaleza, Jaguaruana e Guaramiranga, bem como os dados de temperatura máxima e mínima, velocidade do vento, umidade relativa e radiação referentes aos pontos de grade com espaçamento de alta resolução espacial (0,25° latitude por 0,25° longitude) para o preenchimento de falhas por meio da técnica de regressão linear múltipla, utilizando o método dos mínimos quadrados, para o período de 1980 a 2017. Segundo, com as séries de temperatura máxima e mínima preenchidas, será utilizada a regressão linear simples, cujos valores de a e b da equação serão estimados pelo método dos mínimos quadrados, assim como, utilizar-se-á o teste de Mann-Kendall como método comparativo da tendência e o teste t-Student para avaliar a significância da natureza e magnitude dessas tendências. Constatando-se a existência de tendência na área de estudo, o terceiro passo consistirá em estimar espacialmente a temperatura de superfície, assim como  identificar em escala temporal as mudanças no uso e ocupação do solo da região estudada por meio das imagens do satélite Landsat 5, sensor Thematic Mapper e Landsat 8, sensores Operational Land Imager e Thermal Infrared Sensor a espacial, por meio do método Surface Energy Balance Algorithms for land. Por fim, como resultados preliminares foi constatado que: (i) o preenchimento de falhas pelo método da regressão múltipla apresentou dados condizentes ao restante da série, bem como a não violação dos seus principais pressupostos. No entanto, algumas etapas precisarão ser revistas a fim de garantir resultados com maior precisão; (ii) foi constatada tendência positiva na média da temperatura máxima para a estação urbana, entretanto, para a estação rural, a tendência foi positiva para a média da temperatura mínima. Tal resultado deu-se, possivelmente, pelo fator localização das estações, isso porque, além da estação de Fortaleza está a uma altitude um pouco mais elevada que a estação de Jaguaruana, esta se encontra localizada mais no interior do continente, enquanto a primeira está mais próxima do litoral, assim recebendo maior influência da brisa marítima.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1914304 - KELLEN CARLA LIMA
Interno - 2411669 - JONATHAN MOTA DA SILVA
Externo ao Programa - 1023112 - MARCELO BOURGUIGNON PEREIRA
Externo à Instituição - HELIOFABIO BARROS GOMES - UFAL
Notícia cadastrada em: 20/09/2018 16:36
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2019 - UFRN - sigaa07-producao.info.ufrn.br.sigaa07-producao