Banca de QUALIFICAÇÃO: ALINE MACEDO DE OLIVEIRA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ALINE MACEDO DE OLIVEIRA
DATA : 05/09/2016
HORA: 13:30
LOCAL: Auditório do CCET
TÍTULO:

Assimilação de aerossóis atmosféricos para o modelo inverso de transporte químico EURAD-IM sobre o Nordeste Brasileiro


PALAVRAS-CHAVES:

modelos químico-atmosféricos, aerossóis atmosféricos, assimilação de dados, NEB


PÁGINAS: 61
RESUMO:

Desde os primeiros estudos para a realização de previsão numérica do tempo e do clima procura-se formas para melhorar sua qualidade. Em comparação com a meteorologia, a previsão de tempo químico é considerada recente, todavia sua importância vem sendo mais valorizada já que cada vez mais há preocupação com os efeitos dos poluentes atmosféricos na saúde humana. A modelagem numérica de compostos químicos na atmosfera em relação à escala temporal do clima também é reconhecida como ser de grande importância, sendo que os gases de efeito estufa e os aerossóis atmosféricos influenciam diretamente alterações no clima global.   Entretanto os gases do efeito estufa e os aerossóis alteram o clima global em diferentes escalas temporais. Enquanto os primeiros têm tempo de permanência na ordem de vários anos, os aerossóis geralmente permanecem na baixa atmosfera de algumas horas a, no máximo, algumas semanas. Este fator implica em diferentes tipos de abordagens em modelagem numérica, já que as informações disponíveis de cada um diferem. A modelagem numérica muitas vezes faz uso da técnica de assimilação de dados que combina dados já modelados com observações fornecendo resultados com melhor precisão em relação à realidade. Geralmente usa-se este tipo de modelagem quando há falta de qualidade nos dados de entrada do modelo, como nas informações das emissões, ou condições iniciais ou de contorno do modelo, o que resultaria em pouca confiabilidade das simulações. Na Europa a previsão de tempo química é tão importante quanto a meteorológica e para isto são utilizados modelos de transporte químico, que estudam e prevêem o comportamento de poluentes e de partículas. Dentre os diversos modelos adotados para a realização de previsão química está o modelo EURAD (EURopean Air Pollution Dispersion) e sua forma inversa  EURAD-IM, desenvolvido na Rhenish Institute for Environmental Research (RIU) na Universidade de Colônia e no Jülich Research Centre na Alemanha. Este modelo é um dos mais antigos da Europa e continua sendo continuamente desenvolvido pelos grupos de pesquisa alemães. O EURAD-IM opera em escala hemisférica e regional e faz cálculos de emissão, transporte, difusão, transformação química e deposição úmida e seca de cerca de 70 espécies químicas. O modelo inclui também um método de assimilação de dados variacional em três (3D-VAR) e quatro dimensões (4D-VAR), que tem como objetivo, reduzir as incertezas das análises do modelo, aproximando as simulações puras com dados observacionais disponíveis em cada local e horário com dados disponíveis.

Neste presente estudo, esta técnica de assimilação de dados (DA) químicos com o EURAD-IM foi adotada pela primeira vez no Brasil, na região nordeste do país (NEB), devido à pouca quantidade e qualidade de inventários de emissões na região, o que dificulta uma modelagem correta. Desta forma, o objetivo principal deste trabalho é implementar o método de DA de aerossóis em três dimensões com o modelo EURAD-IM sobre o NEB e testar o mesmo com dados observacionais disponíveis. Devido à falta de dados in situ será usado um produto de aerossol de dados de sensoriamento remoto do sensor MODIS (Moderate Resolution Imaging Spectroradiometer) a bordo dos satélites AQUA e TERRA, primeiramente para o ano de 2014. Como meio de se verificar a quantidade de aerossol presente na atmosfera da região, serão assimilados dados da Profundidade Óptica dos Aerossóis (AOD) que é uma variável com controle de qualidade dentro do conjunto de dados fornecidos pelo MODIS. Em seguida serão adicionalmente incluídos dados de AOD da rede AERONET (Aerosol Robotic Network) que, desde recentemente, conta com um fotômetro solar na cidade de Natal/RN. Com este novo sistema de assimilação de aerossóis sobre o NEB pretende-se estudar o transporte de plumas de partículas de poeira do deserto do Saara que todos os anos, são transportadas pelos ventos alísios para as Américas. Na América do Sul estas partículas servem de fertilizantes para o solo da Amazônia, porém parte destas partículas se desloca acima da região do NEB neste processo de transporte e possivelmente causa alguma interferência no tempo e clima. A partir deste primeiro estudo espera-se poder também entre outros, corrigir as taxas de emissão dos inventários, o que é um dos maiores empecilhos para a qualidade da modelagem química da troposfera na região.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1752417 - CLAUDIO MOISES SANTOS E SILVA
Interno - 1808127 - JOSE HENRIQUE FERNANDEZ
Presidente - 1879213 - JUDITH JOHANNA HOELZEMANN
Interno - 1249023 - SEBASTIAO MILTON PINHEIRO DA SILVA
Interno - 1164414 - WEBER ANDRADE GONCALVES
Notícia cadastrada em: 29/08/2016 11:10
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2019 - UFRN - sigaa05-producao.info.ufrn.br.sigaa05-producao