Banca de DEFESA: CLEITON CRUZ SERAFIM

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CLEITON CRUZ SERAFIM
DATA: 20/08/2015
HORA: 10:00
LOCAL: Departamento de Geofísica
TÍTULO:

ESTUDO DA VARIABILIDADE DA VELOCIDADE DE DERIVA VERTICAL DO PLASMA IONOSFÉRICO SOBRE A REGIÃO DE NATAL/RN, FORTALEZA/CE E CACHOEIRA PAULISTA/SP  NOS PERÍODOS DE TEMPESTADES MAGNÉTICAS PARA O MÁXIMO SOLAR 2000.


PALAVRAS-CHAVES:

Latitudes equatoriais; Ionossonda tipo CADI; Ionograma


PÁGINAS: 94
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Geociências
RESUMO:

Neste trabalho, estão sendo apresentados os resultados da investigação sobre a variação da velocidade do pico de pré-reversão de deriva vertical do plasma ionosférico que comumente ocorre nos períodos próximos ao pôr-do-sol (entre 21UT – 22UT) para os municípios de Natal/RN (33.7º O, 5.6º S), Fortaleza/CE (38.45º O, 3.9º S) e Cachoeira Paulista/SP (45.0ºO, 22.7º S). Os dados (ionogramas) de altura virtual () em função da frequência emitida para a região Fda ionosfera foram obtidos junto ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno – CLBI, localizado em Natal, ainda se obteve dados junto às cidades de Fortaleza e cachoeira Paulista. Esses dados foram coletados por meio da ionossonda tipo CADI (Canadian Advanced Digital Ionosonde) para as cidades de Natal e Fortaleza, e pela digissonda DPS para a cidade de Cachoeira Paulista.  Foram considerados apenas os dados de 2000, ano de solar máximo, para os meses com tempestades magnéticas e para períodos calmos. Para identificação dos períodos com tempestades magnéticas e períodos calmos utilizou-se o índice Dst (Disturbance Storm Time) que pode ser obtido a partir do seguinte endereço: http://lasp.colorado.edu/space_weather/dsttemerin/archive/dst_years.html, bem como também se utilizou o índice Kp. A partir dos dados foi possível reduzir os parâmetros ionosféricos desejados para as alturas virtuais de 5 e 6MHz utilizando o programa ionocadi para as cidades de Natal e Fortaleza, e para Cachoeira Paulista utilizou-se do software SAO-Explorer para obter as alturas reais. Com os dados de alturas virtuais () e reais reduzidos para as respectivas frequências anteriormente citadas, o passo seguinte foi o cálculo do , que se deu por meio da média entre as velocidades para as frequências de 5 e 6MHz para as respectivas cidades estudadas nesse trabalho. Com resultados para a velocidade de deriva vertical da região F ionosférica pode-se verificar as influências das tempestades magnéticas nos resultados, como exemplo, podemos citar a penetração de campos elétricos, bem como também campos elétricos do dínamo perturbado.

 


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1858120 - DAVID MENDES
Presidente - 348011 - GILVAN LUIZ BORBA
Externo à Instituição - RICARDO ARLEN BURITI DA COSTA - UFCG
Notícia cadastrada em: 24/07/2015 12:19
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2019 - UFRN - sigaa13-producao.info.ufrn.br.sigaa13-producao