Banca de DEFESA: ELIO PESSOA CAZUZA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ELIO PESSOA CAZUZA
DATA: 28/08/2014
HORA: 10:00
LOCAL: Auditório da Geofísica
TÍTULO:

ESTUDOS DE DISTURBIOS IONOSFÉRICOS PROPAGANTES DE LARGA ESCALA (LSTID’S) NA REGIÃO EQUATORIAL DURANTE GRANDES TEMPESTADES MAGNÉTICAS


PALAVRAS-CHAVES:

Natal; Baixas Latitudes; Digissondas.


PÁGINAS: 70
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Geociências
RESUMO:

Os distúrbios ionosféricos propagantes - TID’s - são irregularidades no plasma ionosférico propagando-se com velocidades da ordem de dezenas a poucas centenas de metros por segundo. O presente trabalho foi desenvolvido visando detectar e caracterizar os TID’s do tipo LSTID’s (Large scale Travelling Ionospheric Disturbances) em baixas latitudes durante intensas tempestades geomagnéticas e sua propagação sobre setor brasileiro. Para este fim utilizamos registros ionosféricos obtidos a partir de digissondas do tipo CADI (Canadian Advanced Digital Ionosonde) localizada em Nata e do tipo DSP localizadas em Cachoeira Paulista, Fortaleza e São Luiz, no qual utilizamos uma série de dados de 12 anos colhidos pelo INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais). Neste estudo foram relacionados tanto dias calmos quanto, os quais antecediam as tempestades e dias geomagneticamente perturbados durante os anos de 2000 e 2012, os quais englobam um período de máxima e mínima atividade solar. Este trabalho apresenta as variações ocorridas nas densidades eletrônicas da região F da ionosfera sobre o setor brasileiro, principalmente próximo ao equador (Natal, Fortaleza e São Luís), causadas por distúrbios ionosféricos propagantes na região equatorial durante intensas tempestades geomagnéticas, pois como sabemos da literatura na área esse fenômeno contribui positivamente para o surgimento de LSTID’s na região auroral, mas que podem se deslocar para a região equatorial onde poucos casos têm sido documentados e estudados de forma sistematizada. A partir da observação de assinaturas de TID´s em registros de ionogramas foi realizado um estudo da morfologia desses eventos e comparados com as principais características de onda desse fenômeno durante grandes tempestades magnéticas, isto é DST < (-200 nT) e KP > 6. Com isso obtivemos as características principais dos TID´s sobre nossa região, isto é, período, comprimento de onda vertical, velocidade de fase e velocidade de propagação, assim como o delay desses distúrbios em relação ao início das tempestades magnéticas para o setor brasileiro.  


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 346466 - ENIVALDO BONELLI
Presidente - 348011 - GILVAN LUIZ BORBA
Externo à Instituição - JONAS RODRIGUES DE SOUZA - INPE
Notícia cadastrada em: 28/08/2014 09:16
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2019 - UFRN - sigaa06-producao.info.ufrn.br.sigaa06-producao