Banca de DEFESA: WASHINGTON LUIZ FÉLIX CORREIA FILHO

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: WASHINGTON LUIZ FÉLIX CORREIA FILHO
DATA: 27/03/2014
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório do CCET
TÍTULO:

MODELOS DE DISPERSÃO PARA EXTREMOS DE PRECIPITAÇÃO PARA O NORDESTE DO BRASIL.


PALAVRAS-CHAVES:

Modelos Vetoriais Lineares Generalizados, Regressão logística, Regressão de Poisson, radiação de onda longa, variabilidade interanual da precipitação.


PÁGINAS: 85
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Geociências
RESUMO:

Nesta tese foram utilizados três diferentes modelos de regressão, os Modelos Lineares Generalizados via regressão logística e de Poisson e os Modelos Vetoriais Lineares Generalizados via distribuição generalizada de valores extremos (MVLG-GEV) com o objetivo de detectar os extremos de precipitação no Nordeste do Brasil. Inicialmente aplicaram-se os modelos de regressão logística e de Poisson para identificar as interações entre os extremos de precipitação e as demais variáveis a partir das razões de chances e de riscos relativos. Constatou-se que a variável indicadora da ocorrência de extremos de precipitação é a radiação de onda longa, verificada nas regiões leste, norte e semiárido do NEB, e a umidade relativa foi verificada no sul do NEB, em ambos os modelos. Os resultados apresentados pelos modelos de regressão logística e de Poisson mostram evidências de que estes extremos de precipitação são impulsionados pela Oscilação Madden-Julian, que ao interagir com os outros sistemas meteorológicos locais, regionais e grande escala podem ocasionar a ocorrência destes extremos. O terceiro modelo, MVLG-GEV, avaliou os extremos a partir dos máximos anuais de precipitação de forma múltipla (a partir de um conjunto de variáveis) e constatou-se que as variáveis que subsidiaram a ocorrência dos extremos de precipitação foram: as componentes zonal e meridional do vento, evaporação e TSM (Atlântico e Pacífico). Este artigo mostra evidências de que a variabilidade da TSM vistas no Atlântico como no Pacífico (El Niño-Oscilação Sul) interfera na variabilidade interanual da precipitação, modificando o padrão de circulação atmosférica na região, resultando na intensificação ou inibição da ocorrência dos extremos de precipitação. Os coeficientes de regressão logística, de Poisson e de MVLG-GEV demonstraram significância estatística, inferiores a 5%. Em relação aos níveis de retorno para os próximos 30 anos pelos MVLG-GEV, o menor nível foi de 91,62mm no sul da Bahia, enquanto o maior foi de 185,72mm no norte do Ceará.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - AFRÂNIO MÁRCIO CORREA VIEIRA - UFSCAR
Interno - 1858120 - DAVID MENDES
Externo à Instituição - FRANCISCO JAVIER SIGRO RODRIGUEZ - NENHUMA
Interno - 1914304 - KELLEN CARLA LIMA
Interno - 350691 - MARIA HELENA CONSTANTINO SPYRIDES
Presidente - 320597 - PAULO SERGIO LUCIO
Notícia cadastrada em: 20/03/2014 08:22
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2019 - UFRN - sigaa11-producao.info.ufrn.br.sigaa11-producao