Banca de DEFESA: ANA LUCIA GOMES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANA LUCIA GOMES
DATA: 25/05/2015
HORA: 10:00
LOCAL: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
TÍTULO:

A LEI DA TV PAGA E O AUDIOVISUAL INDEPENDENTE BRASILEIRO -

        Análise dos tensionamentos para regulação de conteúdo obrigatório


PALAVRAS-CHAVES:

Televisão; Produção Independente; regulação, comunicação.


PÁGINAS: 119
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Comunicação
SUBÁREA: Comunicação Visual
RESUMO:

 

A dissertação investiga as cotas para veiculação do audiovisual independente brasileiro na TV Paga por meio dos processos de construção da Lei 12.485/2011, bem como os seus resultados da programação em 2013. Esta Lei é um marco regulatório que, dentre outras coisas, passou a guiar os agentes interessados no audiovisual independente e, aqui, busca-se investigar as marcas das motivações, das estratégias e tensões que envolvem estes agentes nos ambientes públicos usados para debater o tema e ocupar a programação. A análise compreende o período entre 1999 e 2013 e é baseada em referências bibliográficas e documentais: pesquisas já realizadas, publicações em revistas e sites e documentos oficiais resultantes de consultas públicas e audiências propostas pelo poder legislativo, pela Agência Nacional do Cinema e poder Judiciário. Também foram observados os relatórios das Conferências de Cultura e Comunicação. Por fim, apresentamos dados do cumprimento das obrigações de programação para produção independente nacional em 2013: canais e conteúdo de espaço qualificado.

Nesta pesquisa utilizamos o conceito de audiovisual independente como sendo o conteúdo produzido fora da emissora, canal ou programadora que o exibe, caracterização adotada pelo órgão que regula o setor no Brasil, a ANCINE.

Usamos o referencial teórico-metodológico da Economia Política da Comunicação com o objetivo principal de identificar as tensões e práticas desses agentes para compor a programação com conteúdo independente e nacional. Adotamos as interpretações do campo da Comunicação que trabalham com Gramsci, em conceitos de hegemonia e sociedade civil e o referencial teórico de Bourdieu (2009) para entendermos a construção das representações simbólicas na produção cultural.

A pesquisa é descritiva, interpretativa e interdisciplinar, usa a técnica de análise bibliográfica e documental com dados primários e secundários. Foi possível identificar que os agentes do audiovisual estão centrados em fatores econômicos, em detrimento da importância simbólica que o audiovisual independente brasileiro tem ao ser veiculado em mídia televisiva.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1645141 - SEBASTIAO GUILHERME ALBANO DA COSTA
Interno - 1694773 - VALQUIRIA APARECIDA PASSOS KNEIPP
Notícia cadastrada em: 19/05/2015 09:51
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa08-producao.info.ufrn.br.sigaa08-producao