Banca de DEFESA: DIOLENE BORGES MACHADO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DIOLENE BORGES MACHADO
DATA: 11/03/2014
HORA: 10:00
LOCAL: Auditório A - CCHLA
TÍTULO:

ESTRATÉGIAS MIDIÁTICAS NA APRENDIZAGEM DO TEMA DST/AIDS: Ações em rede para reduzir vulnerabilidades de adolescentes e jovens da comunidade de Mãe Luiza, Natal RN


PALAVRAS-CHAVES:

Educomunicação; Cidadania comunicativa; Práticas sociais; Vulnerabilidade e prevenção; Adolescentes e jovens.


PÁGINAS: 103
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Comunicação
SUBÁREA: Teoria da Comunicação
RESUMO:

Jovens e adolescentes ainda são um grupo bastante vulnerável às DST/Aids. No intuito de combater essa vulnerabilidade surgiu o projeto de intervenção comunitária que esta sendo desenvolvido no bairro de Mãe Luiza, na cidade de Natal, intitulado “Fortalecimento de Redes de Ação Comunitária para Prevenção em DST/Aids: conhecer e Intervir”, popularmente conhecido como Projeto “Viva Mãe Luiza”. O projeto, no que tange a essa faixa etária, desenvolve oficinas educomunicativas, cuja abordagem envolve a temática DST/AIDS junto às mídias: vídeo, fotografia, cartilha e teatro. Esta pesquisa integra as atividades do projeto e tem como objetivo geral investigar como as estratégias e práticas de comunicação midiática desenvolvidas no Projeto Viva Mãe Luiza, por meio de oficinas educomunicativas, auxiliaram a aprendizagem para a prevenção das DST/Aids e contribuíram para a redução de vulnerabilidades às DST/Aids por adolescentes e jovens participantes do projeto moradores da comunidade de Mãe Luiza, Natal RN. A base metodológica foi pautada na pesquisa-intervenção, tendo como técnica de coleta de dados diário de campo, pesquisa bibliográfica e documental, entrevista em profundidade e observação etnográfica. A análise qualitativa se baseou no acompanhamento das oficinas de de vídeo, fotografia, cartilha e teatro, respectivamente, atravessadas por temas transversais à prevenção das DST/Aids, realizadas no período de junho/2012 a dezembro/2013. Foram ainda realizadas entrevistas com oito multiplicadores visando compreender suas percepções sobre vulnerabilidade, prevenção, multiplicação e o uso das mídias que fizeram parte do projeto. As análises mostram que aprendizado das oficinas de educomunicação comunitária em saúde repercutiram tanto no desenvolvimento de habilidades de comunicação individuais quanto na mudança das percepções sobre as vulnerabilidades a que estão expostos, na consciência sobre prevenção no plano individual e em ações diferenciadas de multiplicação na comunidade.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1319361 - JUCIANO DE SOUSA LACERDA
Interno - 1644432 - MARIA DO SOCORRO FURTADO VELOSO
Externo à Instituição - JOAO BOSCO FILHO - UERN
Notícia cadastrada em: 06/02/2014 08:30
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa06-producao.info.ufrn.br.sigaa06-producao