Banca de DEFESA: PEDRO HENRIQUE PINTO CAMPOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : PEDRO HENRIQUE PINTO CAMPOS
DATA : 20/04/2018
HORA: 09:00
LOCAL: AUDITÓRIO DO CTEC
TÍTULO:

AVALIAÇÃO DE MÉTODOS DE INTERPOLAÇÃO ESPACIAL E TÉCNICAS DE SENSORIAMENTO REMOTO NA CARACTERIZAÇÃO BATIMÉTRICA DA BACIA POTIGUAR.


PALAVRAS-CHAVES:

Processamento digital de imagens; Landsat; geoprocessamento; MDT.


PÁGINAS: 78
RESUMO:

Imagem de satélite de uma ampla captação eletromagnética por meio de algumas metodologias de cálculos específicos podem mostrar, por exemplo, a profundidade do oceano. A literatura mostra que ainda não se sabe qual metodologia de cálculo é a mais adequada. Além disso, existe no processo a geração de mapas batimétricos por meio de interpolação a partir de nuvens de pontos. Existem diversos métodos de interpolação hoje, mas ainda muito se discute sobre quais são os mais apropriados para cada caso. Além disso, o mapeamento do leito marinho é uma atividade realizada com diversos fins. Pode ser usado para navegação, prospecção de reservatórios de petróleo, monitoramento ambiental, modelagem de ondas, estudo de erosão costeira e outros. O Brasil tem um dos maiores litorais do mundo com mais de 8500km de extensão, muitas de suas cidades foram instaladas no litoral e estão sujeitas às consequências de problemas associados ao mar, como ressacas, erosão costeira, desordenamento urbano, impacto paisagístico, ecológicos e etc. Isso torna necessário um estudo cada vez mais aprofundado de modelos de mapeamento do fundo do oceano. Moura (2010) fez a análise de interpoladores usando dados de batimetria obtidos por Cartas Náuticas e dados de batimetria obtidos in loco. Em seu trabalho foram avaliados uma série de 12 interpoladores. Uma imagem de satélite de Gomes et al. (2007) foi usada para auxiliar numa avaliação visual dos resultados. O presente trabalho tem como objetivo geral complementar a análise de Moura (2010), fornecendo uma referência quantitativa proveniente de uma extração de batimetria de uma imagem de satélite landsat 8 da região. Os métodos de extração de batimetria usados foram Mcfeeters (1996) e Philpot (1989). A extração de batimetria foi feita com os softwares Arcgis, Envi e Matlab. As interpolações foram feitas no Surfer e os dados foram comparados entre si usando as análises estatísticas de coeficiente de correlação (R²), índice de concordância (d), MAPE, RMSE e validação cruzada. Em relação à extração de batimetria, o Mcfeeters (1996) foi o método que trouxe uma melhor representação da região. Já em termos de resultado das interpolações dos dados de batimetria in loco os interpoladores polinômio local, inverso da distância, mínima curvatura foram eleitos como os mais representativos. Para os dados de carta náutica, os interpoladores Vizinho Natural, Triangulação por Interpolação Linear, Krigagem e Função Base Radial foram classificados como os mais apropriados por terrem apresentado os menores erros estatísticos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 350698 - VENERANDO EUSTAQUIO AMARO
Interno - 637.477.312-87 - MARIA DE FATIMA ALVES DE MATOS - UFRN
Externo à Instituição - MICHAEL VANDESTEEN SILVA SOUTO - UFC
Notícia cadastrada em: 17/04/2018 11:29
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2019 - UFRN - sigaa11-producao.info.ufrn.br.sigaa11-producao