Banca de QUALIFICAÇÃO: LARISSA CAVALCANTE DE ARAÚJO MELLO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : LARISSA CAVALCANTE DE ARAÚJO MELLO
DATA : 05/04/2018
HORA: 08:00
LOCAL: A DEFINIR
TÍTULO:

Concretos autoadensáveis com baixos teores de cimento e adição de cinza do bagaço da cana-de-açúcar e metacaulim submetidos a altas temperaturas



PALAVRAS-CHAVES:

Concreto autoadensável; adições minerais; durabilidade; elevadas temperaturas; lascamento.



PÁGINAS: 36
RESUMO:

O concreto autoadensável (CAA)se molda sem a necessidade de vibração devido as suas características de alta fluidez e coesão. O elevado teor de finos presentes no compósito faz com que a busca por materiais alternativos em substituição ao cimento torne-se necessária a fim de maior sustentabilidade, podendo ainda proporcionar melhorias nas propriedades mecânicas e de durabilidade do concreto. Um dos parâmetros de durabilidade é o comportamento do material frente às situações extremas como em altas temperaturas. Nessa situação, mudanças nas propriedades mecânica, coloração e porosidade, além do efeito spalling, podem ocorrer devido à perda de água e alterações microestruturais. Neste contexto, o presente estudo tem como objetivo avaliar concretos autoadensáveis com adições minerais, do tipo cinza do bagaço da cana-de-açúcar e metacaulim em substituição ao cimento submetidos à altas temperaturas. Serão confeccionadas amostras cúbicas, com 10 cm de aresta, do CAA de referência (sem adição mineral) e de CAA com adições do tipo cinza do bagaço da cana-de-açúcar e metacaulim. No estado fresco serão realizados os ensaios de espalhamento, T500, anel-J, funil-V e caixa-L. No estado endurecido os concretos serão avaliados após exposição à temperatura ambiente, 200 °C, 400 °C, 600 °C e 800 °C através dos ensaios de resistência à compressão, velocidade do pulso ultrassônico, absorção de água por imersão, índice de vazios, massa específica, absorção por capilaridade e microscopia eletrônica de varredura. O ensaio de difração de raios X será para as temperaturas ambiente, 200 °C e 400 °C. Os ensaios de termogravimetria e termogravimetria derivada serão para 200 °C e 400 °C. Ao término da pesquisa, espera-se ter a influência das adições minerais no comportamento dos CAA submetidos a altas temperaturas bem como as alterações ocorridas.



MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 022.621.844-96 - MARCOS ALYSSANDRO SOARES DOS ANJOS - IFRN
Interno - 1717461 - LUCIANA DE FIGUEIREDO LOPES LUCENA
Interno - 1507841 - MARIA DAS VITORIAS VIEIRA ALMEIDA DE SA
Externo à Instituição - GIVANILDO ALVES DE AZEREDO - UFPB
Notícia cadastrada em: 21/03/2018 11:10
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2019 - UFRN - sigaa05-producao.info.ufrn.br.sigaa05-producao